Nesta quarta-feira (13), o Estádio Antônio Vieira Ramos foi palco do primeiro simulado de segurança pública em um estádio de futebol no Rio Grande do Sul a contar com evacuação, sequestro, primeiros socorros e ameaças de bombas. O capitão do Corpo de Bombeiros de Gravataí, Iremar Charopem, organizou o evento, que teve como objetivo principal a integração dos órgãos de segurança pública estadual e municipal. “Gostaria de agradecer ao Cerâmica, ao presidente Décio Becker e ao gerente administrativo Rodrigo Klein, que abriram as portas do clube para desenvolvermos nossas atividades com méritos”, afirmou o capitão Charopem.

Sequestro e tumulto

As atividades no Vieirão tiveram início com a apresentação dos garotos da Escolinha do Cerâmica no gramado principal do estádio. Na sequência, os atletas da categoria juvenil do Tricolor de Gravataí entraram em campo para começar o ensaio da Segurança Pública. Enquanto os garotos entravam no gramado, a torcida assistia à partida com tranquilidade, até que o falso sequestro teve início.

Deste momento em diante, o Centro de Controle de Operações do estádio foi acionado e, consequentemente, todo o aparato policial. Os bandidos causaram pânico nos torcedores, que saíram correndo para fora das arquibancadas, causando “sérias lesões” em algumas pessoas que acabaram sendo pisoteadas – tudo programado com antecedência.

Houve tiros para o alto e ameaça aos torcedores. Os bandidos ainda estouraram diversas bombas nas arquibancadas para provocar terror. Do lado de fora do estádio, um tumulto foi causado por um falso protesto contra a Copa do Mundo. O Grupamento de Ações Táticas Especiais (GATE) entrou em ação e negociou a liberação dos reféns, que foram atendidos pelos médicos do SAMU, e a rendição dos bandidos.

Bomba

Quando o sequestro acabou, um funcionário do clube avisou a polícia que tinha uma bomba escondida no Estádio, do outro lado da arquibancada. O Exército verificou a possibilidade da existência de produtos químicos e acionou o GATE novamente para desarmar o artefato. Bomba desarmada, foi a vez do Instituto Geral de Perícia inspecionar o local. 

Participaram do simulado todos os órgãos de segurança pública do estado e Município de Gravataí, além de órgãos voluntários de resgate e auxílio às vítimas de acidentes. Estiveram presentes no evento a delegada da Segurança Pública do Estado, Luciane Bertoleti, a delegada da 1ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana, Adriana Regina da Costa, o Secretário Municipal de Segurança André da Silva Brito, representando o prefeito Marco Alba, e o gerente administrativo do Cerâmica, Rodrigo Klein, que falou em nome do presidente do clube, Décio Becker.

Fonte: Comunicação/CAC

Créditos destaque: Comunicação/CAC