A manutenção de baixas taxas de desemprego e a melhoria na renda agrícola gaúcha são fatores que devem alavancar as vendas do comércio do estado para a data mais esperada pelos lojistas: o Natal. A expectativa da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul – FCDL-RS é que as vendas aumentam aproximadamente 6,5% em comparação ao mesmo período do ano passado.

“O Natal é um período fundamental para o varejo, que é beneficiado em todos os setores. É fundamental que o consumidor se organize antecipadamente e pesquise preços para a data, não deixando todas as compras para última hora”, recomendou o presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch.

Um fator que já começa a encher os lojistas de otimismo é o ingresso de recursos referentes ao décimo terceiro salário dos trabalhadores. A expectativa nacional é de injeção de R$ 143 bilhões na economia brasileira em função do pagamento do décimo terceiro salário — um crescimento de 9,8% em relação ao ano de 2012, segundo dados do Dieese.

Outro aspecto que vem merecendo atenção dos comerciantes são os índices de inadimplência que poderiam prejudicar as vendas. Os patamares nacionais mostram que as vendas a prazo do varejo brasileiro na semana que antecede o Natal (18 a 24 de dezembro) devem acelerar em relação aos anos anteriores e crescer 5% na comparação a 2012, conforme dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).

A expectativa só não é maior em função da retomada de patamares mais elevados de impostos, que foi registrada com o aumento do IPI para a linha branca, móveis e outros produtos desde o início de outubro.

Em relação aos preços, há também uma sensação de otimismo. O recente recuo do valor da moeda norte-americana, em termos reais (descontada a inflação) neutralizou a desvalorização do Real registrada até setembro. Sendo assim, as vendas de importados no Natal não deverão ser comprometidas. A tendência, inclusive, segundo especialistas, é de que tais produtos abocanhem razoável parcela dos produtos nacionais da linha branca e móveis, encarecidos em relação a dezembro do ano passado por conta do aumento do IPI.

Fonte: FCDL-RS

Créditos destaque: Betina Broch