Foto: Daniela Dimer

A capacidade de influenciar outras pessoas, através do trabalho, torna o alvoradense Douglas Weiss (18) cada vez mais conhecido na região. O número de seguidores no Instagram (@doug.weiss) cresce diariamente, no entanto, apesar da fama que vem conquistando graças ao talento para fazer paródias para o comércio de Gravataí e outras cidades, o estudante não se descreve somente como influenciador digital. Ele prefere ser reconhecido como um empreendedor que utilizou a criatividade para enfrentar o período de crise econômica resultante da pandemia de Covid-19. Apresenta-se também como um jovem que não espera de braços cruzados as coisas acontecerem, mas age para alcançar os objetivos e realizar seus sonhos.  Algumas metas, aliás, já foram traçadas pelo rapaz que estampa a capa da Evidência.

Foto: Daniela Dimer

Residente em Gravataí desde que tinha 10 anos, Doug é daquelas pessoas que falam das conquistas e dos sonhos com brilho nos olhos. É com alegria que relata tudo o que já alcançou por causa dos trabalhos como parodista e garoto-propaganda de diversas empresas locais. E pensar que tudo começou de forma despretensiosa! Prestes a concluir os estudos no Instituto Adventista Cruzeiro do Sul (IACS), de Taquara, ele revela que a primeira paródia foi feita em fevereiro deste ano para divulgar promoções da Livraria J.A. Júnior. Na época, trabalhava como office boy e se dispôs a ajudar a proprietária do estabelecimento, Jaina Wichmann, a aumentar à visibilidade das ofertas. Ao escutar a música Din Din Din, da cantora Ludmilla, da qual é superfã, teve a inspiração e, em pouco tempo, gravou um vídeo com a paródia. Desnecessário dizer que a produção foi o pontapé para o sucesso entre os comerciantes da cidade. Desde então, o jovem tem sido contratado para apresentar produtos e serviços de diversas marcas.

Aproximadamente 30 empresas de Gravataí já apostaram na criatividade do estudante, que, após o lançamento do primeiro vídeo, decidiu investir no projeto, percorrendo estabelecimentos para divulgar suas ideias e adquirindo equipamentos para qualificar as gravações. “No começo, eu achava que ia passar vergonha! No início, é difícil, mas que bom que existem pessoas que acreditam em sonhadores como eu!”, comenta, argumentando que, mesmo diante de pessoas que desacreditavam na proposta de divulgação, seguiu em frente com muita dedicação. À medida que os trabalhos foram repercutindo e, consequentemente, sua credibilidade aumentando, Douglas começou a colher bons frutos. Com a renda, ajudou a família a construir uma casa nova; comprou um celular melhor; pôde aproveitar momentos em lugares de que gostava, mas que, por falta de recursos, não costumava frequentar; tem investido no próprio visual e em profissionalização. “A principal conquista foi comprarmos um terreno e construirmos nossa casa. Vivíamos de aluguel. Meu celular não é de última geração, mas o que tinha era um caco! Agora, vou começar as aulas para tirar carteira de motorista… Tenho conquistado coisas que estavam muito longe.”

Com a mãe, Kelen, e a avó Almerinda (in memoriam), o alvoradense aprendeu muito, sobretudo a manter a humildade. Ele entende que, com dedicação, pode ir longe, mas não deve esquecer as raízes. O parodista, além de carismático, é muito responsável. Explica que as pessoas podem utilizar a influência para o bem e para o mal, mas que sua intenção sempre é a melhor. Fica emocionado com o carinho que recebe nas redes sociais e nas ruas. “Hoje, a maior parte do meu público é formada por adolescentes e mães que me veem como um exemplo para os filhos delas. Isso motiva a gente!” O talento do irmão de Diogo, Giovana, Franciele e Franciny – Kelen está grávida e logo a família aumenta com a chegada de Rudimar Júnior – vem sendo reconhecido. O influenciador digital já concedeu diversas entrevistas e participou de programas de televisão, além ganhar muita popularidade. Mas nada disso o impede de ser crítico com o próprio trabalho. Está sempre em busca de aprimoramento e planeja fazer faculdade na área de Marketing ou Publicidade e Propaganda.

Sonhos? São muitos. E, ao que parece, o rapaz seguirá focado para realizá-los. O criativo empreendedor almeja morar no Rio de Janeiro, em uma linda e confortável residência – de preferência com uma porta bem grande! –, conhecer artistas que admira, crescer profissionalmente e compartilhar conhecimentos para ajudar outras pessoas. É possível escrever a própria história e ser feliz! O “Guri das Paródias” sabe disso.

*Este conteúdo integra a matéria de capa da Revista Evidência de dezembro, que já está em circulação pela cidade e disponível no site e por meio do WhatsApp.