Foto: Divulgação/TSE

Em uma seção eleitoral, o mesário é o trabalhador essencial para garantir o sucesso de uma eleição. Ele recebe as pessoas para votar, orienta os cidadãos e dirige os trabalhos de votação. Nas Eleições Municipais de 2020, aproximadamente 2 milhões de pessoas atuarão como mesários. Todos os convocados e voluntários que trabalharão no pleito passam por capacitação, realizada à distância – em razão da pandemia de Covid-19 – por meio de um aplicativo ou do portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O treinamento será promovido até o dia 10 de novembro.

Foram feitos cerca de 400 mil downloads do conteúdo, com informações diversas sobre o funcionamento da eleição (antes e durante a votação), bem como sobre como preparar a seção eleitoral, ligar e desligar os equipamentos eletrônicos, inclusive a urna, e os documentos exigidos aos eleitores, entre outras. Qualquer pessoa maior de 18 anos e em situação regular com a Justiça Eleitoral pode ser mesário. O posto de trabalho é dentro da zona eleitoral em que está inscrito. Trata-se de atividade não remunerada, mas há contrapartidas, como: auxílio-alimentação no primeiro turno e, se houver, também no segundo turno; e direito a dois dias de folga para cada um que passar nos treinamentos ou atuando na função a que for designado no dia da votação. O certificado pelos serviços prestados, entregue pela Justiça Eleitoral ao fim do pleito, é um reconhecimento ao importante trabalho que o mesário realiza. A declaração de dias trabalhados e de participação em treinamento é fornecida pelo cartório eleitoral ou pelo Portal do TSE, alguns dias depois de cada turno da eleição.

Fonte: TSE