Foram denunciadas à Justiça – por formação de quadrilha e comércio ilegal de armas -, através da Promotoria de Justiça Criminal do Ministério Público de Gravataí, 20 pessoas suspeitas de vender armas de grosso calibre, comercializar drogas, distribuir celulares em presídios, falsificar documentos e participar de assaltos a bancos. Um policial militar de Cachoeirinha e um policial civil de Gravataí estão entre os acusados.

"É uma quadrilha com atuação, principalmente, na parte logística e de apoio a outros grupos. Eles utilizavam empresas de fachada, como uma loja de venda de celulares, para encobrir a atividade criminosa", explica o promotor André Luís Dal Molin Flores.

Relembre o caso

A ação para desmantelar o bando foi coordenada em março pelos promotores de Justiça André Luis Dal Molin Flores e Rodrigo Carpi Nejar.  Foi denominada de Operação Medusa devido ao caráter da quadrilha, que agia de forma criminosa em várias frentes.

Fonte: Correio do Povo e Ministério Público

Créditos destaque:Divulgação/Juliano Rodrigues