Os funcionários da General Motors, em Gravataí, decretaram, no início da manhã desta segunda-feira (07/05), paralisação de 24h. Os pontos que determinaram a greve e que, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Gravataí, ainda causam divergências, são o reajuste salarial de 10% e o Plano de Participação de Resultados (PPR) de R$ 9 mil.

A montadora apresentou proposta de 7% no reajuste dos salários e PPR de R$ 6,8 mil. O abono proposto pela GM é de R$ 2,3 mil e um piso salarial de R$ 950,00. A categoria não aceita menos que R$ 3 mil de abono, além de um piso de R$ 1.150,00.

Às 15h será feita uma nova assembleia para que os trabalhadores do turno da tarde também possam votar. A direção do sindicato espera obter a mesma adesão dos demais funcionários.

Mercado

No Complexo Industrial Automotivo de Gravataí (CIAG) são produzidos os modelos Celta e Prisma. Atualmente está sendo realizada uma expansão da fábrica para o desenvolvimento do Projeto Onix – responsável pelo novo carro da General Motors, que deverá entrar em produção no final de 2012.

Segundo dados divulgados na última semana pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, uma queda no mercado financeiro do setor automotivo é sentida em todo o país. Somente em abril, houve uma baixa de 9,95% na comercialização de veículos, com relação ao mesmo mês do ano passado. Com esse resultado, a estimativa geral de crescimento em 2012 será de apenas 3,4%.

Neste mesmo mês, a GM foi responsável por 16,9% das vendas, ficando atrás da Fiat (21,86%) e Volkswagen (20,8%).

Fonte: Zero Hora, Correio do Povo e Fenabrave

Créditos destaque: GM