A 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça suspendeu os direitos políticos do deputado estadual Daniel Bordignon (PT) por cinco anos, além de aplicar multa equivalente a 50 vezes o seu último salário como prefeito de Gravataí – cargo que ocupou entre 1997 e 2004. Ainda cabe recurso contra a decisão referente à ação de improbidade administrativa. O julgamento começou dia 24/08, mas foi concluído apenas nesta quarta-feira (23/11).

Os magistrados entenderam que Bordingon cometeu ilegalidade ao admitir 1.292 pessoas sem concurso público. A manutenção da condenação se deu por dois votos a um, sendo vencedor o argumento de que não é crível que o prefeito fosse obrigado a seguir fazendo contratações temporárias por tanto tempo, em prejuízo de concursados.

A princípio, a suspensão dos direitos políticos de Bordignon não determinará sua saída imediata da Assembleia. “Acredito que a eventual saída só ocorrerá após trânsito em julgado da decisão. De qualquer forma, teria de vir alguma comunicação nesse sentido para a Assembleia, da Justiça ou mesmo da Justiça Eleitoral”, avalia o procurador-geral da Assembleia, Fernando Ferreira.

Fonte: Zero Hora