O Senado dos Estados Unidos aprovou nesta terça-feira (02/08), por 74 votos a 26, o plano bipartidário formulado pelos líderes do Congresso. Na noite da segunda, o projeto havia sido aprovado na Câmara dos Representantes por 269 votos a favor e 161 contra.

O presidente americano Barack Obama promulgou o acordo que eleva o teto da dívida americana, permitindo assim evitar um defaulty. A proposta prevê um corte de US$ 917 bilhões nos gastos domésticos ao longo de dez anos, além da formação de uma comissão para definir mais US$ 1,5 trilhão em redução de gastos.

Assim, o país pode pegar novos empréstimos e cumprir com pagamentos obrigatórios. Em maio, a dívida pública norte-americana chegou a US$ 14,3 trilhões (cerca de R$ 22,2 trilhões), que é o valor máximo estabelecido por lei.

Fonte: G1