Foto: Reuters/Reprodução da Agência Brasil

Numa projeção apresentada na primeira quinzena de março pelo Departamento de Economia e Estatística da Secretaria Estadual de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag) foi destacado que a trajetória do coronavírus até o 50º caso era diferente entre os países. Sem padrão, não havia, portanto como projetar com clareza como ficaria o cenário. Trabalhava-se, todavia, com a hipótese de que os casos evoluiriam de modo leve a moderado ou extremo. Conforme o estudo, 25% dos países alcançaram o 50º caso em até 9,5 dias e 75% em até 31 dias. Como será no Rio Grande do Sul? A Seplag calcula que cerca de um mês após o primeiro diagnóstico positivo para o coronavírus, se o estado registrar uma evolução epidêmica moderada, teremos em torno de 245 casos confirmados. Num cenário com evolução extrema, o número de confirmações pode passar de 4 mil até a primeira quinzena de abril. O estudo concluiu que embora não se possa detectar como ficará a situação no estado, os efeitos vão refletir, em grande medida, as ações tomadas para desacelerar o contágio na fase inicial.