A Estação Rodoviária de Gravataí, localizada no centro da cidade, fechará as portas no dia 23 deste mês, pois a concessão pertencente ao conselheiro gestor da Sogil, Sergio Tadeu Pereira, terá seu prazo encerrado no dia 31 de outubro e o mesmo não manifestou interesse em dar continuidade ao trabalho ou participar da licitação, segundo o Daer. Gravataí foi uma das cidades do estado que tiveram suas licitações desertas, ou seja, não apareceram interessados em obter as concessões e administrá-las.

De acordo com a secretária do conselheiro da Sogil, Adriana Endz, o prédio será devolvido à prefeitura, após o término da licença. Segundo o secretário municipal de Mobilidade Urbana, Adão de Castro Júnior, existe um anteprojeto da Prefeitura, realizado em conjunto com a Metroplan, que inclui o espaço no sistema de corredores de ônibus BRS (do inglês Bus Rapid Service [Serviço de Ônibus Rápido]), transformando o local em um terminal. O BRS é um corredor exclusivo de ônibus que irá da parada 59 até o Parque dos Anjos e tem o início de suas obras previsto para o ano que vem, sem data definida. 

“Esta oportunidade nos possibilita melhorar o espaço, oferecendo ao usuário um local mais adequado, com cobertura e segurança”, explica o secretário. Adão também adianta que existe a possibilidade da criação de um segundo piso neste terminal, com lancherias e comércio. A construção de uma nova rodoviária está descartada, pois as passagens poderão ser adquiridas dentro dos ônibus os quais não terão seu itinerário alterado.

Créditos Destaque: Revista Evidência