Os prefeitos da região metropolitana encaminharão aos governos estadual e federal um pedido de apoio para elaborar e executar um plano contra enchentes. Também tentarão ser articuladas uma série de outras medidas na tentativa de minimizar os prejuízos das chuvas de agosto, que deixaram mais de 30 mil desalojados no Rio Grande do Sul.

A situação foi discutida na segunda-feira (9), no Canoas Parque Hotel pelas prefeituras que estão enfrentando os piores problemas com as cheias na região: Cachoeirinha, Gravataí, Porto Alegre, Alvorada, Canoas, Esteio, Novo Hamburgo, São Leopoldo e Eldorado do Sul. O encontro foi organizado pelo prefeito de Esteio Gilmar Rinaldi, presidente da Associação dos Municípios da Grande Porto Alegre (Granpal).

Na ocasião, os prefeitos de Cachoeirinha, Vicente Pires, e Gravataí, Marco Alba, defenderam a construção de barragens como solução tanto para as cheias quanto para as tradicionais secas do verão, quando o Rio Gravataí cai a um nível preocupante. “Já não é possível mais deixar isso de lado, temos dois eventos no ano, um de excesso e outro de falta. Está mais do que claro que precisamos armazenar essa água para não deixá-la virar enchente e reservá-la para o verão, quando muitas família ficam sem água e o medo de racionamento assusta nossas cidades”, afirmou Vicente.

Outras medidas

Além de barragens, os prefeitos vão levar ao Estado e à União pedidos de liberação do cartão Minha Casa Melhor para as famílias vítimas das enchentes, já que muitas perderam tudo (em Cachoeirinha são mais de 700 desalojados e dezenas de desabrigados instalados até hoje na Casa de Cultura), liberação de recursos através do programa PAC Drenagem, dragagem de rios e construção de diques.

O documento será endossado pela Granpal, Conselho Deliberativo Metropolitano (CDM) e Frente Nacional dos Prefeitos. Os prefeitos pedirão audiências com o Governo do Estado e o Ministério da Integração Nacional.

Fonte: http://www.cachoeirinha.rs.gov.br

Créditos destaque: Alessandro Schlesnner