O Cruzeiro não conseguiu reverter a punição de seis pontos por conta da escalação irregular do atacante , já que seu recurso foi negado pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Rio Grande do Sul.

Segundo divulgado na Zero Hora, o advogado Mauricio Ferrão, responsável pela defesa do clube, disse que o Pleno do TJD-RS optou pela manutenção da pena. “A fundamentação da decisão é que o Cruzeiro tinha a responsabilidade de conferir no BID se o contrato do atleta com o Luverdense tinha sido rescindido. A decisão diz que o atleta não teria retornado legalmente ao Cruzeiro. Como o STJD já entrou em recesso nesta sexta-feira, não há como recorrer novamente a tempo do clube disputar a próxima fase do campeonato”, comenta o advogado.

O presidente Dirceu de Castro lamenta a decisão. Segundo ele, ainda não há uma definição se o clube entrará com recurso no STJD, mesmo após a disputa das partidas válidas pelas quartas de final da Taça Piratini. “Recebemos a notícia com muita decepção, tristeza. Não temos o que fazer. É lamentável. O melhor time do campeonato ficar fora dos matas por uma decisão extra-campo é algo muito decepcionante. Vamos aguardar para definir se apelaremos ou não”, fala Castro.

Com a manutenção da decisão, o Cruzeiro está eliminado da Taça Piratini. Com oito pontos no grupo 2, o time não pode mais alcançar o Veranópolis, último classificado da chave, com 13 pontos, nesta última rodada.

Fonte: Zero Hora

Créditos Destaque: Marcelo Campos/MC10 Divulgação