Com 10 inscritos, o concurso interno de samba-enredo da  Acadêmicos de Gravataí classificou três obras para a audição que escolherá a trilha da escola para o Carnaval de 2012, quando a Onça Negra entra na avenida com um enredo sobre Passo Fundo (escolhido também através de concurso).

As obras vieram do estado e de fora dele, como São Paulo, Santa Catarina, Paraná e Rio de Janeiro.
A decisão será tomada nos próximos dias. Por enquanto, vale à pena conferir a letra das três canções classificadas.

Samba 1
Claudinho, Juliano Centeno, Gustavo Barros, Arilson Trindade e Ciganerey


Explode a alegria… a Onça Negra surgiu!
Vem cantar com passo fundo que orgulha o Brasil
Pois da literatura ela é capital
Maravilhosa… brilha neste Carnaval!

Desbrava onça aventureira
O meu planalto gaúcho
Um universo de beleza exuberante
Alimenta o “rio fundo”
Traz à imaginação um vasto mundo
Nas margens do Goyen grandes batalhas
E lendas para a eternidade…
Jaci, a índia alada, foi enfeitiçada
Um luar de paixão a cena presenciou…
Bravo guerreiro Marau chorou!

Tropeiros, bandeirantes… sonhos!
E quilombos a lutar
Em terreiros a se iluminar
E o imigrante faz história à lavourar!

Chimangos… maragatos… estoura a revolução!
Europa dita a moda… arquitetura… decoração…
Futebol em debate!
O progresso traz luxúria!
Rezei para os santos em devoção
E entre tantos artistas
Teixeirinha levou longe o nome da sua terra

É quente! Dos carnavais até os eventos de cultura
Eco-turismo e as indústrias
Com a força do biodiesel!

 

Samba 2
Conrado Laurindo, Fred Inspiração, Ricardo Abraham e Willian Tadeu
 

Pelas águas da imaginação
A Onça Negra te convida a navegar
Meu samba é a correnteza
É tanta beleza que corre no olhar

Um dia… lágrimas que a lua derramou
Nascia… “doce” sonho de amor
Então às margens do rio, cada desafio o índio venceu
Das profundezas um monstro assombrou
Mas a coragem é real valor
Vieram bandeiras pra explorar as riquezas do lugar

Nos quilombos, a resistência
Revela a tua essência
A imigração floriu, o braço forte construiu
És um orgulho do meu Brasil

E a cidade cresceu, com o charme europeu em seus casarões
Seguindo os trilhos da história, os anos de glória
O luxo e o requinte nos salões
A fé clareia o teu “coração”
É imortal a voz no céu a te guiar
Que traz a arte pro teu berço
Na “caravana” da cultura popular
Vejo a folia nas ruas, encanta o folclore em festival
É linda a natureza a revelar
Cenário pro gaúcho se orgulhar
E preservar para o futuro que virá

Sou Gravataí, sou poeta e sambista
E como artista eu quero fazer
De Passo Fundo o tema
De um poema pra você!

 

Samba 3
Jaílson Barbosa, Anderson Pulga, Lú Astral, Tom Astral e Duda do Cavaco
 

Avante Onça Negra… aventureira!
Mostra tuas garras, vem pra ganhar!
Por terras, por matas, rompendo fronteiras
No Goyen eu vou navegar!

Passo Fundo… cenário de encanto
Te envolve em seu manto a onça negra
Desbravadora faz do samba
Um canto ao seu legado e sua beleza
Batalhas sangraram o chão
A revolução, revoltas, tormentas
Mitos e lendas… dão asas a imaginação
Ergueu-se a bandeira, da cobiça e ambição

Pelo filho… “a negra mãe” chorou
Na dor a sua força pra lutar
O braço forte do imigrante semeou
Os seus costumes pra essa terra prosperar

Nas trilhas de ferro, chegou o progresso
E o cassino da maróca fez sucesso
Cantar… num ritual de devoção
Teixeirinha fez o povo chorar de emoção
E a caravana dos artistas trouxe o riso
Fascinante obra do destino
Jornada da literatura
Saúde, educação, cultura
A tradição é o cartão postal
Na grande festa do folclore popular
Com o biodiesel o amanhã chegou aqui
Na taba futurista de Gravataí

Fonte: ClicRBS