Mais uma semana começou com protestos em todo o país, só o Rio Rio Grande do Sul registrou manifestações em pelo menos 16 municípios. Na capital gaúcha, cerca de 10 mil pessoas foram às ruas nesta segunda-feira (24/6). A marcha saiu da Praça Montevidéu em direção ao Gasômetro, por volta das 18h30.  Enquanto a caminhada seguiu de forma pacífica, moradores piscavam as luzes de casa em sinal de apoio.

Na cidade baixa, um grupo de cerca de 50 adolescentes, dissociado da manifestação, depredou bares, contêineres e motos. Vidraças e portas de estabelecimentos foram quebradas, e veículos saqueados. Às 20h, no Centro, houve conflito entre os próprios manifestantes, quando um grupo tentou conter os mais exaltados, que tentavam quebrar as grades de um estabelecimento comercial. Para dispersar a multidão, a Brigada Militar usou bombas de efeito moral. Até à meia-noite de ontem, foram registradas mais de 80 detenções e, segundo o Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU), 17 contêineres foram incendiados.

Em resposta à onda de protestos que vive o Brasil, a presidente Dilma Roussef propôs cinco pactos nacionais, em encontro realizado com prefeitos e governadores das 27 unidades federativas do país. A reunião ocorreu nesta segunda-feira (24/6), no Palácio do Planalto.  As medidas propostas pela presidente abrangem as áreas de saúde, educação e transporte, além da solicitação de responsabilidade fiscal em todas as esferas de administração e o controle da inflação. O item mais polêmico é a proposta de criação de um plebiscito, que autorizaria uma Constituinte (órgão colegiado que tem como função redigir ou reformar a Constituição Federal) sobre a Reforma Política. De acordo com a Constituição, cabe apenas ao Congresso Nacional a convocação de plebiscitos.

Devido à falta de foco das manifestações, ganha força nas redes sociais uma campanha que busca elencar os temas de maior importância para debate. O objetivo é fazer com que os protestos não se desgastem com o decorrer do tempo. As cinco sugestões são: fim da impunidade (com medidas como a redução da maioridade penal), revisão dos salários e benefícios dos políticos, recuperação da saúde, valorização do salário dos professores de escolas públicas, e valorização dos salários dos policiais civis e militares.

Protestos na Aldeia e em Cachoeirinha 

Conforme divulgado pela rede social Facebook, uma manifestação popular está prevista para ocorrer hoje (25/6), em Cachoeirinha, a partir das 18h. Os manifestantes pretendem caminhar da Igreja Boa Viagem, localizada próxima à ponte que divisa a cidade com Porto Alegre, até a Câmara de Vereadores. Em Gravataí, a manifestação de hoje está prevista para as 17h. A marcha está programada para ter início em frente à Prefeitura e seguir até a Câmara. O objetivo é protestar contra o reajuste de salários dos vereadores.

Fontes: ZH.com, Uol, G1 e as páginas do Facebook Todos na câmara contra o aumento e pela reforma já e Protesto em Cachoeirinha

Créditos destaque: Ricardo Duarte/Agencia RBS