Nesta quarta-feira (08/01), foi dado o primeiro passo para a criação de um projeto-piloto de utilização de água reciclada na irrigação de plantações. O termo de cooperação técnica foi assinado pelo governador Tarso Genro com a Companhia Rio-grandense de Saneamento (Corsan), o Instituto Rio-grandense do Arroz (Irga), a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) e o Ministério Público em Cachoeirinha.

A assinatura ocorreu durante o Dia de Campo na Estação Experimental do Irga, onde o experimento deve ser desenvolvido. A partir do exemplo de um trabalho realizado em Israel, a intenção é direcionar a água proveniente da Estação de Tratamento de Esgoto da Corsan de Cachoeirinha para um teste em área plantada no município. Segundo Tarso, a sugestão do projeto foi uma iniciativa do Ministério Público do estado. “Essa é uma boa relação que temos. Podemos buscar ajuda de outros órgãos”, comentou.

Os 30 mil metros cúbicos produzidos na estação da Corsan de Cachoeirinha diariamente poderiam ser utilizados para irrigar 270 hectares de arroz, segundo a companhia. O secretário da Agricultura, Pecuária e Agronegócio, Luiz Fernando Mainardi, explicou que atualmente a água tratada é despejada no Rio Gravataí. “Essa proposta deve reduzir o problema que temos de irrigação durante a seca, mas não é a solução”, disse. Segundo ele, o estado precisa criar barragens. “Não podemos depender da chuva para a elevação dos níveis dos rios”, destacou. O diretor de expansão da Corsan, Alexandre Stolte, ressaltou que a ideia é pioneira e deve ajudar na economia.

Fonte: Corsan / Correio do Povo

Créditos Destaque: Divulgação Corsan