Ontem (04/06), após assumir a presidência da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), no Palácio Piratini, Nilvo Silva falou a empresários, mineradoras e construtoras sobre a extração de areia no Rio Jacuí, que está proibida desde o último dia 15, por decisão liminar da Justiça Federal. Apesar da pressão sobre a liberação, o novo diretor-presidente pediu para que obedeçam as regras de preservação da natureza.

Conforme destaca Nilvo, que já teve passagens pelo Ibama e pela Organização das Nações Unidas (ONU), a proibição ocorreu em função de uma série de irregularidades, mas seu compromisso é com a lei e enfatizou que sua missão maior é proteger o Rio Jacuí.

Sobre o atual desabastecimento de areia no estado, empresários alertam que algumas obras da Copa de 2014 podem ser paralisadas. O diretor do Sindicato da Indústria da Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplenagem em Geral (Sicepot), Nilto Scapin, anunciou que hoje (05/06), avisará a prefeitura sobre a suspensão dos trabalhos nos corredores de algumas avenidas da capital.

Fonte: Zero Hora

Créditos destaque: Fábio Almeida/RBSTV