Lavar as mãos é uma das principais medidas para prevenir a infecção. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

De acordo com o Informativo Epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde, na última sexta-feira (13/3), dos sete casos suspeitos de coronavírus em Gravataí, três já foram descartados. Apesar disso, o monitoramento e orientações para prevenir a disseminação do vírus são constantes. A Prefeitura publica, nesta segunda-feira (16/3), um decreto com determinações e recomendações a serem seguidas no município. A aglomeração de pessoas deve ser evitada, por isso é recomendado que eventos e reuniões com 50 pessoas ou mais sejam transferidos ou cancelados. Até o momento, todavia, a informação é de que as aulas na rede municipal serão mantidas.

Dados divulgados em boletim atualizado na madrugada desta segunda-feira mostram que 169.387 casos foram confirmados em todo o mundo. A China segue como o país mais atingido, com 81.020 casos, seguido da Itália, com 24.747. No Brasil são 200 casos confirmados.

A Prefeitura tem divulgado, em seu site, informações sobre como está sendo o atendimento nas unidades de saúde, além de orientações para os trabalhadores da Saúde, escolas e população em geral. Confira alguns dados disponibilizados pelo munícipio:

Fluxo após avaliação clínica do paciente com suspeita da doença na UPA e no PAM

Paciente que apresentar sinais com gravidade será mantido em isolamento. Será coletada uma amostra de secreções respiratórias, que serão armazenadas em laboratório. A Central de Regulação Hospitalar será contatada para avaliar internação e remoção. Caso de remoção ao hospital será regulado pela Central do Samu (192). Paciente sem sinais de gravidade será mantido em isolamento domiciliar. Será fornecido atestado médico por 14 dias, prescrição de medicação sintomática, além de recomendações de precaução. Será coletada uma amostra de secreções respiratórias, que serão armazenadas em laboratório. A Vigilância em Saúde encaminhará a amostra ao Lacen-RS.

Fluxo após avaliação clínica do paciente com suspeita da doença na rede privada e unidades de saúde

No caso de paciente que apresentar sinais com gravidade, se necessária a internação, este deverá ser encaminhado, após contato prévio, para o Serviço de Urgência e Emergência. O paciente sem sinais de gravidade será mantido em isolamento domiciliar. Será fornecido atestado médico por 14 dias, prescrição de medicação sintomática, além de recomendações de precaução. Orientar que será coletada uma amostra de secreções respiratórias, no domicílio.

Cuidados no domicílio

– Não compartilhar alimentos, copos, talheres, chimarrão, toalhas e objetos de uso pessoal;

– Evitar tocar olhos, nariz ou boca;

– Lavar as mãos várias vezes ao dia com sabonete e água, ou usar álcool gel, principalmente depois de tossir ou espirrar;

– Não receber visitas enquanto os sintomas persistirem;

– Enquanto permanecer com sintomas respiratórios, deve usar máscara cirúrgica ao sair do seu quarto e trocar a máscara sempre que estiver úmida;

– Na ausência da máscara, proteger a boca e o nariz ao tossir ou espirrar com lenços descartáveis (ex: papel higiênico, papel toalha, guardanapo ou lenço de papel);

– Ficar em quarto sozinho (se possível) e mantê-lo ventilado;

– Sair de casa apenas em situações emergenciais. Ao sair de casa, sempre colocar máscara cirúrgica.

– Se houver piora dos sintomas, procure o hospital de referência.