Em entrevista coletiva, na manhã desta quarta-feira (14), o Prefeito de Gravataí, Acimar Silva apresentou um balanço das contas da última gestão do Executivo Municipal. Segundo ele, a ex-Prefeita Rita Sanco, cassada em 15 de outubro pela Câmara de Vereadores por suspeitas de irregularidades, teria deixado uma dívida de R$ 365 milhões. “Desses, apenas R$ 300 milhões já teriam sido renegociados com a RGE, Corsan e outros prestadores de serviços. A administração anterior cometia excessos em terceirizações”, disse o prefeito.

Acimar explicou, com a ajuda do Secretário de Governo, Luiz Zaffallon, que entre as medidas anunciadas para diminuir o suposto déficit estão a redução em 50% do número dos 700 estagiários, o fim de horas-extras para funcionários – com as quais foram gastos, no último mês, R$ 400 mil -, o cancelamento de festas como o desfile de Carnaval, o Rodeio do Mercosul e as comemorações do aniversário da cidade no Parcão. “São eventos tradicionais e que nos dói cortar. No entanto, a medida se faz necessária, pois somente esses três custam para o município, R$ 782 mil. Com esse recurso podemos investir mais, por exemplo, na saúde, que está sucateada”, resume Zaffallon. Além disso, a nova gestão pretende organizar as finanças reduzindo, em 25%, os contratos de prestação de serviços permanentes; reduzindo o número de veículos locados, entre outras ações.

Zaffallon também acusou as gestões dos últimos 15 anos de se empenharem em criar o Orçamento Participativo (OP) – programa em que a comunidade se reúne para decidir quais as obras prioritárias que devem estar no orçamento para o ano seguinte -, mas, conforme ele, não executaram a maioria do que estava previsto. “Hoje, Gravataí tem 629 obras em atraso desde 1998. elas entravam com previsão de recursos no orçamento, mas até hoje não foram concluídas. Ou seja, esse foi o maior estelionato público da história”, afirma o Secretário de Governo. Ao seu lado, Acimar concluiu o encontro com a imprensa, estimando que, até abril de 2012, a partir da postura de redução de gastos, a Prefeitura poderá respirar melhor financeiramente.

A atual administração de Gravataí também fez alusão a um suposto esquema de corrupção envolvendo empresas que teriam fraudado licitações para fornecer materiais para órgãos ligados à prefeitura. A ex-prefeita Rita Sanco, negou que as dívidas tenham sido contraídas apenas na gestão petista. Ela também repudiou as acusações sobre supostas irregularidades.

Fonte: Rádio Guaíba

Parte de uma frota sucateada de veículos foi exposta na Praça Borges de Medeiros pela Prefeitura, durante a coletiva de imprensa. Entre os exemplares abandonados em depósito, está uma ambulância. Créditos: Revista Evidência

No destaque, o Prefeito Acimar (centro) e sua equipe apresentaram as finanças do município e as medidas que irão adotar para sanar o quadro atual. Créditos: Revista Evidência