Cerca de 18 mil médicos devem suspender durante toda a quarta-feira (21/09) os atendimentos de consultas por convênio no Rio Grande do Sul. A paralisação, que abranjerá todo o país, pedirá repasses maiores pelos planos de saúde.

Serão afetadas somente as consultas eletivas, ou seja, sem urgência. Os médicos anteciparam atendimento ou remarcaram as consultas agendadas. O presidente do Conselho Regional de Medicina, Fernando Matos, diz que o objetivo não é causar incômodos, mas chamar atenção.

Consultas dos convênios Unimed e Instituto de Previdência do Estado (Ipê) são as únicas que não devem ser afetadas. A Unimed é uma cooperativa dos próprios médicos e o Ipê fechou acordo com as entidades de saúde.

Fonte: Rádio Gaúcha