Não bastasse a falta de efetivo, o 26º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Cachoeirinha perdeu o seu comandante e mais quatro brigadianos para a Operação Golfinho. Promovido a Coronel, o ex-comandante Antônio Carlos França Sarti já não está mais na cidade. Ele foi substituído provisoriamente pelo major Luiz Fernando Rodrigues que fez, na tarde desta segunda-feira (05/12), nas proximidades do antigo calçadão, o lançamento da Operação Papai Noel, que vai até meados de janeiro. Rodrigues explica que o governo do estado liberou horas extras e desta forma será possível aumentar o policiamento ostensivo na área central da cidade neste período de compras natalinas. “Vamos ter viaturas, motos e soldados caminhando nas calçadas”, garantiu.

Sobre o efetivo ainda mais reduzido, Rodrigues argumenta que o pessoal da área administrativa ajudará a suprir a carência fazendo um turno em trabalhos internos e outro nas ruas. Já com relação à Operação Golfinho ele argumenta que o BPM tem que cumprir determinações. “Todos os municípios cedem policiais. A gente chegou a ceder 12. Desta vez, foram apenas quatro”, explica. O presidente do Conselho Municipal Pró-Segurança Pública (Consepro), Leandro Meireles, resigna-se: “O que a gente vai fazer? É necessário ter brigadiano no litoral também.”

O efetivo da Brigada Militar de Cachoeirinha está abaixo dos 50% projetados para o batalhão e o governo do estado pretende fazer concurso público no ano que vem, mas apesar da pressão da cidade não há nenhuma promessa de que novos soldados virão.

Fonte: Clic Tribuna

Créditos Destaque: Rodrigo Alves/ClicTribuna