Nesta terça-feira (20/03), mais de mil professores participaram da assembleia geral do Cpers-Sindicato em prol do reajuste do piso da categoria na Praça da Matriz, em frente ao Palácio Piratini. Os professores não aceitaram a proposta do Governo de realizar o pagamento através de um calendário, até fevereiro de 2013.

A presidente do Cpers, Rejane de Oliveira, propôs aos servidores que esse reajuste fosse de 23,5%, mas em parcela única, paga até maio. A alteração foi acordada e a contraproposta encaminhada aos deputados.  A votação do projeto está marcada para hoje à tarde, na Assembleia Legislativa.

Relembre

No dia 02/03, os professores rejeitaram o calendário de reajuste de 76,68% oferecidos pelo Piratini, chegando ao piso de R$ 1.260 até novembro de 2014. O Sindicato exige a elaboração de um calendário de reajuste que leve ao piso nacional de R$ 1.451, fixado em lei com base no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). O Governo não reconhece esse índice e diz que o reajuste deveria ser fixado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Fonte: Jornal do Comércio
Foto destaque: Vinicius Reis/ AL