Desde as 8h30min de ontem (21/03), a Polícia Civil está com as atividades paralisadas em todo o estado. As delegacias de Gravataí aderiram ao protesto, que prevê 48 horas de paralisação. Apenas flagrantes graves como homicídios, roubo seguido de morte e estupros serão atendidos nesse período, que, conforme o Sindicato dos Escrivães, Inspetores e Investigadores de Polícia do RS (Ugeirm/SINDICATO), encerra hoje (22/03), com ato de mobilização em frente ao Palácio da Polícia, em Porto Alegre.

A paralisação pontual envolve cerca de cinco mil agentes. O Sindicato evita falar em greve geral, mas já sinaliza que pretende endurecer as negociações com o governo do Estado. Em assembleia geral realizada na semana passada, o Ugeirm decidiu por rejeitar a proposta apresentada pelo governo.

Os agentes policiais exigem o estabelecimento de política salarial única, que institua vencimentos proporcionais para agentes e delegados (verticalidade). De acordo com os sindicalistas, a proposta do Estado fixaria a diferença salarial entre delegados e agentes em início de carreira em mais de 350% até 2018.

 

Fonte: SBT – RS
Foto destaque: Divulgação – Ugeirm