A presidente Dilma Rousseff anunciou, nesta quinta-feira (26/01), em visita ao Rio Grande do Sul, o pagamento de uma dívida de cerca de R$ 3 bilhões da União à Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE), de quase 20 anos. Para ser encerrado, conforme a Advocacia geral da União, o litígio foi estudado por sete meses. O estado receberá R$ 2,3 bilhões líquidos.

Segundo reportagem publicada no Correio do Povo, Dilma comemorou o acerto. "Ao longo desses 18 anos foi uma batalha judicial. Na terceira instância, o processo foi considerado vitorioso e a Justiça foi feita", discursou. "O acordo é feito pelo governo federal num momento em que o governo federal pode reconhecer”.

“Considero uma plena justiça”, acrescentou. “Além de eu ter plena certeza que a justiça foi feita no âmbito federal, tenho conhecimento que é justiça o que se paga ao Rio Grande do Sul por conta de um processo em que ele foi perdedor. Estamos participando de um momento muito importante”.

Em seu discurso, o governador Tarso Genro destacou o diálogo exercido para se chegar a um consenso nesta questão, além de prometer usar os recursos de forma adequada. “Vamos utilizar esse dinheiro  responsavelmente. Esses recursos são muito importantes e serão aplicados rigorosamente dentro da lei, em projetos de infraestrutura do nosso estado”, disse. “Sabemos que esses recursos são atribuídos ao estado neste momento, da Federação, do povo brasileiro, que acerta uma dívida com o Rio Grande do Sul”.

Dentre as autoridades presentes no Piratini estavam os ex-governadores Olívio Dutra e Alceu Collares, de quem Dilma foi secretária de Minas e Energia quando o governo estadual reivindicou a dívida. Presidente da CEEE à época e indicado pelo PDT para assumir o Ministério do Trabalho, Vieira da Cunha também acompanhou pessoalmente a cerimônia.

Fonte: Correio do Povo / Zero Hora / Governo do Estado

Créditos Destaque: Ronaldo Bernardi / Agência RBS