José Paulo da Rosa é o diretor regional do Senac-RS. Foto: João Alves

Iniciemos o ano olhando as oportunidades e destacando coisas positivas. O trabalho da Justiça Eleitoral de Gravataí para realizar o cadastramento biométrico, por exemplo. Estive lá em dezembro. Ali no Parcão da 79, quase ao lado da OAB. Fui atendido rápido, de forma educada e eficiente, acrescida de um toque de bom humor. Em poucos minutos, saí com a biometria concluída e com um título eleitoral novinho em folha. Tudo ágil e gratuito. Nesses momentos, verificamos com louvor o retorno dos impostos pagos. O cuidado que todos precisam ter é que em breve o prazo para o cadastramento será encerrado e as filas formar-se-ão. Não perca tempo e aproveite a qualidade do atendimento da Justiça Eleitoral gravataiense.

Também a ponte do Parque dos Anjos representa algo a ser comemorado. Está em pleno funcionamento e é muito bom poder escrever isso, depois de décadas de congestionamento. Um investimento que mostra que quando o poder público tem boa gestão, iniciativas como essa acontecem.

Do outro lado da cidade, pelas bandas da RS-118, teremos o empreendimento da Havan e um centro de distribuição do Mercado Livre, entre outros. Isso vai gerar empregos, movimentar a economia e gerar desenvolvimento.

Ainda pode ser destacado o início das obras que permitirão alterar o local do pedágio da Free Way, o que vai beneficiar toda a população local.

Problemas ainda existem e precisam ser corrigidos, mas é salutar que nosso foco esteja nas oportunidades, nos avanços que surgiram no ano que passou e em tudo que podemos fazer para que 2020 seja tudo de bom. Só não esqueça da biometria.

Ano da Inovação

Para manter uma perspectiva de crescimento neste ano, abrace a inovação. O poder público precisa criar as condições para que um ambiente inovador se estabeleça, as organizações públicas e privadas necessitam estimular uma cultura que leve à inovação e as pessoas carecem de uma atitude diferente, com uma mentalidade inovadora. O avanço da tecnologia, com novas formas de transação financeira, de realização de negócios, de estudar, viajar, se deslocar, namorar, consumir e trabalhar obrigam a se adaptar a esse novo mundo. O bom é perceber que em alguns países, como o Japão, a tecnologia 4.0 está sendo utilizada para criar a sociedade 5.0, onde os benefícios dessa tecnologia são empregados para melhorar a vida das pessoas. Não adianta lutar contra ou mesmo fechar-se num casulo de proteção e combater o novo. 2020 deverá conduzir essa ruptura em muitos processos, em que a inovação estará presente. Charles Darwin já demonstrou que as espécies que sobrevivem não são as maiores ou mais fortes, mas sim aquelas capazes de se adaptar às mudanças. Assim, vamos aprender com a inovação e, mais do que tudo, criar as condições para inovar. É a melhor forma de crescer e o único modo de sobreviver. E aproveitando a agilidade e a segurança da biometria, inovemos a partir de 2020, elegendo apenas candidatos honestos e competentes.

*Texto do diretor regional do Senac-RS, José Paulo da Rosa (publicado na Evidência de janeiro).