Após denuncia do Ministério da Agricultura, o Ministério Público realiza na manhã desta quarta-feira (08/05), uma operação que busca desvendar um esquema de adulteração de leite.

Conforme investigação comandada pela Promotoria de Justiça Especializada Criminal, em conjunto com a de Direito do Consumidor e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o leite era adulterado antes de chegar às indústrias. Cinco empresas de transporte são suspeitas, os fraudadores misturavam água e uréia, que contém formol, uma substância que de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), é cancerígena. 

No período de um ano, estima-se que mais de 100 milhões de litros de leite tenham sido fraudados. Nesta manhã, estão sendo cumpridos aproximadamente 10 mandados de prisão e oito de busca e apreensão nas cidades de Ibirubá, Guaporé e Horizontina, no Rio Grande do Sul. Conforme site da Zero hora, até às 9h, oito pessoas haviam sido presas. Segundo consta no artigo 272 do Código Penal, a adulteração é considerada crime hediondo de corrupção de produtos alimentícios.

Fonte: G1 e Zero Hora

Créditos destaque: Gionave Grizotti/RBS TV