Foto: Revista Evidência

“Cuidar das pessoas faz uma cidade melhor.” Mais do que um slogan da Prefeitura nos últimos anos, esta é uma frase que o prefeito Marco Alba afirma sintetizar a proposta do seu governo desde 2013, quando assumiu o cargo. Há poucos dias de encerrar o mandato, o emedebista conversou com a Evidência sobre algumas das principais ações realizadas pelo Executivo Municipal durante a sua gestão. Também revelou quais as perspectivas que tem para a administração do prefeito eleito, Luiz Zaffalon, e o vice, Levi Lorenzo Melo, que contaram com o seu apoio durante a campanha. Ao fazer uma retrospectiva do trabalho, Marco revela que conseguiu concretizar grande parte dos projetos, deixando na história da cidade a marca de uma “gestão responsável e transparente”.

Segundo o chefe do Executivo, a organização das finanças do município foi uma das primeiras estratégias de seu governo. “Arrumar a casa”, como se diz popularmente, foi uma das prioridades no primeiro mandato, pois a Prefeitura de Gravataí tinha uma dívida que ultrapassava R$ 580 milhões. Era preciso pagar as dívidas, recuperar a capacidade financeira, “não gastar mais do que arrecadar”, porém manter investimentos, sobretudo em áreas prioritárias. “Saúde, Educação e a área Social não tiveram cortes”, comenta o prefeito, acrescentando que, apesar dos desafios, os resultados positivos logo começaram a aparecer. Na Saúde, por exemplo, o investimento, que era de R$ 117,8 milhões em 2012 chegou a R$ 172,7 milhões em 2016. Foi possível ampliar, reformar e inaugurar unidades de saúde, além de adquirir ambulâncias, equipamentos para os serviços, entre outras melhorias.

Na Educação, também houve investimentos em novos projetos. Os alunos da rede municipal passaram a receber uniforme e kit de material escolar todos os anos; um novo modelo pedagógico foi implantado; escolas foram construídas e espaços reformados ou revitalizados. Marco atribui a série de ações que passaram a ser realizadas no primeiro mandato à melhoria nos índices da Educação. Gravataí tem, atualmente, sua maior nota no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB): 5,7. “Acredito que a marca que o nosso governo deixa é que dá para fazer, cuidar das finanças, mas investir, possibilitar transformações através de uma gestão responsável”, salienta.

De acordo com a Prefeitura, outras áreas também começaram a ser qualificadas entre o período de 2013 e 2016. Obras nas ruas; projetos para melhorar a mobilidade urbana; investimentos na Guarda Municipal para colaborar com a segurança no município; promoção de atividades culturais e esportivas são algumas delas. Com o aspecto financeiro organizado, todavia, mais investimentos foram percebidos nos últimos anos. Várias obras foram entregues e algumas continuam em andamento, com previsão de término para os próximos meses.

Grandes obras na área da Educação

Para o prefeito, é gratificante relatar que os índices da Educação estão melhorando gradativamente e que oferta de vagas na educação infantil, apesar da alta demanda, tem aumentado (de aproximadamente 3,2 mil crianças matriculadas em 2013, o número de vagas passou para mais de 6,8 mil em 2019). Além das melhorias nas estruturas existentes, ele destaca que, em breve, Gravataí contará com mais dois importantes espaços de ensino. Um deles é a instituição que leva o nome de sua mãe, Suely Silveira Soares. A escola municipal de ensino fundamental, que está sendo construída no Residencial Breno Garcia, uma das obras que mais orgulham a administração municipal, por ter levado dignidade a mais de duas mil famílias que receberam uma moradia no empreendimento, o maior do programa Minha Casa, Minha Vida no Sul do Brasil. Conforme Marco Alba, a previsão é de que a construção termine este mês e, em fevereiro de 2021, a escola já esteja em funcionamento.

A Escola Suely Silveira Soares teve sua pedra fundamental lançada no dia três de dezembro do ano passado. A instituição vai atender alunos a partir de quatro anos, abrangendo da pré-escola ao ensino fundamental e a Educação de Jovens e Adultos (EJA). O nome escolhido para a escola homenageia não só a mãe do prefeito, mas outras “chefes de família” – a maioria das pessoas que recebeu a titularidade dos imóveis no Breno Garcia são mulheres. O local terá capacidade para atender 800 estudantes nos três turnos e conta com investimento de aproximadamente R$ 4 milhões, oriundos de financiamento junto à Caixa Econômica Federal.

No dia do lançamento da pedra fundamental, foi feita uma cápsula do tempo. Numa caixa, foram depositados um caderno, uma camiseta do uniforme e outros objetos que ajudarão a relembrar essa história daqui a 20 anos (previsão de abertura da cápsula). A infraestrutura inclui 12 salas de aula, laboratórios, biblioteca e ginásio de esportes, entre outras instalações.

Outra obra iniciada na gestão de Marco e que será entregue nos próximos meses é o Complexo de Educação Especial Irmã Soledade, cujo nome presta homenagem à Regina Bristot, que faleceu este ano. Conforme o prefeito, a inauguração deve ocorrer por volta de abril de 2021. O início de atendimentos no local se dará em etapas. No primeiro momento, a instituição abrigará a Escola Municipal de Ensino Especial Cebolinha e o Centro de Educação Especial. Segundo a Secretaria Municipal da Educação (SMED), a capacidade de atendimento da Escola Cebolinha vai dobrar, passando para 160 vagas. Posteriormente, o Complexo também receberá a Escola Municipal de Ensino Especial para Surdos. O projeto tem um custo de aproximadamente R$ 8 milhões. A obra está sendo feita no bairro Aliança.

Saúde: novos espaços e serviços

Na área da Saúde, o governo de Marco Alba destaca diversas obras; melhorias nos postos; serviços como o teleagendamento e afirma que os investimentos são maiores do que os estabelecidos pela legislação. Enquanto a lei prevê 15% do orçamento, o município conseguiu investir 23%. Entre as maiores obras estão as duas Unidades de Pronto Atendimento 24 Horas. A UPA Abílio Alves dos Santos foi inaugurada em 2017, na parada 74, no bairro Cohab C. Já a UPA Dr. Moisés Eli Magrisso, situada na RS-020, na região das Moradas do Vale, foi entregue recentemente.

As instalações físicas da UPA Dr. Eli, que são semelhantes às da unidade da parada 74, foram entregues no dia 23 de outubro, data de aniversário de 140 anos de emancipação de Gravataí. Contudo, o atendimento à população começou em nove de novembro. Com recursos da Prefeitura, em torno de R$ 3 milhões, e outros R$ 3 milhões do Governo Federal, a instituição conta com cinco consultórios médicos, sala de medicação com poltronas para dez pacientes, sala de observação com 14 leitos, salas de raio-x, eletrocardiograma, coleta de exames laboratoriais e curativos, além de recepção para 40 pessoas. A administração é feita pelo Instituto de Desenvolvimento, Ensino e Assistência à Saúde (Ideas), organização social vencedora da licitação.

O Centro Municipal de Saúde, inaugurado em julho de 2019, é outro projeto que orgulha o prefeito. Trata-se do maior complexo de saúde especializado de Gravataí. Sediada na Rua João Alves de Souza, 111, no Centro, a instituição teve um custo de R$ 650 mil e possui capacidade para atender em torno de cinco mil pessoas por mês. O prédio conta com sete andares e possibilita a oferta de serviços em diversas especialidades médicas. Também na Saúde, o emedebista aponta como importante conquista a vinda da Santa Casa, que se tornou a mantenedora do Hospital Dom João Becker, em 2018. Ele explica que, em relação ao hospital, já ocorreram melhorias, como a ampliação de leitos e benfeitorias na estrutura e atendimento. No entanto, novos projetos ainda devem qualificar os serviços no local. Uma das ações previstas é a ampliação da emergência, com um novo espaço no local que recebe a estrutura temporária para pacientes de Covid-19. A intenção é viabilizar a obra a partir de recursos de emenda federal.

A realidade e projetos para a Habitação

A atual gestão municipal comemora todas as ações que foram implementadas no Loteamento Breno Garcia, construído na parada 103 da RS-030. O residencial garantiu às famílias contempladas casas com dois dormitórios, banheiro, cozinha e sala de estar, além de área de serviço interna e acesso a vários serviços, sendo que as parcelas pagas pelo imóvel variam de R$ 80,00 a R$ 270,00. O empreendimento já dispõe de escolas de educação infantil, centro de referência de assistência social (Cras), unidade de saúde e posto avançado da Guarda Municipal.

Foto: Revista Evidência

No Breno Garcia, foram entregues três escolas de educação infantil, Nova Vida, Novo Amanhã e Nova Era, sendo o atendimento e a gestão da Associação dos Moradores do Parque Residencial São Marcos. São atendidas crianças até cinco anos (berçário, maternal e pré-escola). O Cras Manoel Barbosa oferece serviços e benefícios aos moradores com o objetivo de prevenir situações de risco e fortalecer os vínculos familiares e comunitários. Com o posto da Guarda Municipal, é possível contar com a patrulha dos agentes, que também são responsáveis pelo videomonitoramento no local. Na unidade de saúde, a população tem acesso a consultas e a atendimentos de saúde bucal e procedimentos de enfermagem (curativos, aplicação de medicações e imunizações, realização de testes rápidos de gravidez, entre outros serviços).

É na área da Habitação que o chefe do Executivo tem um projeto especial, que começou em sua gestão, mas terá sequência no governo de Zaffalon. Segundo Marco, “a burocracia atrapalhou e muito” o andamento de alguns trabalhos, caso das ações relacionadas à regularização fundiária. “Mas tenho certeza de que essa será uma das prioridades do Zaffa”, frisa. Marco revela que um estudo detalhado foi feito, através do qual se constatou que Gravataí tem cerca de 200 áreas para serem regularizadas. A estimativa é de que cinco mil famílias residam nestes locais. Mesmo que o emedebista se despeça da Prefeitura sem ver esta meta concretizada, ele aponta que já ocorreram muitos avanços. Exemplifica com a transferência de moradores de áreas irregulares, muitas vezes afetadas por alagamentos, para o Residencial Breno Garcia. A questão das enchentes, aliás, é um aspecto realçado pelo prefeito. Ele indica que o município tinha 125 pontos fortemente atingidos pelas cheias. Hoje, são em torno de 15.

Locais em transformação

“Transformação” é uma das palavras mais utilizadas pelo prefeito para descrever os trabalhos realizados com o intuito de trazer mais qualidade de vida das pessoas. Nesse sentido, é que ele fala com entusiasmo dos benefícios provenientes da Parceria Público-Privada (PPP) do Saneamento, das obras de pavimentação e revitalização pela cidade, da projeção de uma Rota Turística e do potencial do município para atrair empreendimentos.

Em outubro deste ano, a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) apresentou detalhes da PPP, que contempla nove cidades (Gravataí, Alvorada, Cachoeirinha, Canoas, Eldorado do Sul, Esteio, Guaíba, Sapucaia do Sul e Viamão). A partir deste mês, a Ambiental Mercosul ficará responsável pela operação, ampliação e construção da infraestrutura de esgotamento sanitário desses municípios pelos próximos dez anos. O tratamento e a distribuição de água vão permanecer com a Corsan. O projeto, que terá duração de 35 anos e investimentos de aproximadamente R$ 1,7 bilhão, ampliará o índice de esgoto tratado para 87% nos 11 primeiros anos de atuação da PPP.

Dados divulgados pela Prefeitura mostram que a lista de vias que receberam melhorias é extensa. As avenidas Itacolomi, Centenário, Brasil, Jorge Amado e Dorival Cândido Luz de Oliveira (na qual, ainda há obras) são algumas das principais. Asfaltamento, sinalizações, entre outros serviços têm ajudado a mudar a cidade, de acordo com Marco, que também celebrou recentemente um ano da entrega da duplicação das pontes do Parque dos Anjos, algo que era esperado pelos gravataienses há pelo menos quatro décadas. A obra, executada para desafogar o trânsito na região teve um investimento de R$ 6 milhões, valor que incluiu a Rótula do Aldeião. Morungava também ganhou a duplicação de uma ponte, o que é considerado fundamental para o caminho para a Serra Gaúcha, a chamada Rota Turística, que deve fomentar o desenvolvimento da região. De acordo com o prefeito, o roteiro ajudará a tornar a cidade ainda mais atrativa para empreendimentos. Ele acrescenta que somente entre o Parque dos Anjos e a parada 103, a estimativa é da implantação de pelo menos 15 empresas nos próximos meses.

A capacidade de atrair empreendimentos de diferentes segmentos é ressaltada pelo governante. Mesmo com a perda do Mercado Livre, após entraves com o Estado – situação que lamenta até hoje, sobretudo, pelas vagas de emprego perdidas –, salienta que o munícipio ganhou vários investidores nos últimos anos. São exemplos o parque logístico da GLP, a Havan, o bairro-cidade Prado, a Stock Center. O Powercenter Zaffari, na parada 60, é outro local que vai movimentar a economia e gerar empregos em Gravataí. Quando as obras começaram foi anunciado que a previsão de término seria de um ano e meio. Outro fator indicado por Alba como de extrema importância para a comunidade e também para a instalação de novas empresas é o fim do pedágio, cuja praça mudou de lugar na Freeway, isentando os motoristas que passam pelo km 77. Desde 2014, a Prefeitura buscava atender à reivindicação dos gravataienses. Novos acessos à BR-290 para desafogar a Av. Dorival de Oliveira também estão sendo construídos.

E a partir de janeiro?

A expectativa do filho da Dona Suely é que a gestão de Zaffalon e Levi garanta a continuidade do trabalho iniciado há oito anos. Quanto ao projetos pessoais, a partir de janeiro de 2021, Marco Alba só antecipa que pretende continuar auxiliando o MDB, não apenas em âmbito municipal. “Após a pandemia, o mundo será outro. A palavra certa agora é reinvenção. E é isso que vamos buscar junto ao partido: reinventar políticas públicas contra as desigualdades.”