Divulgação/Pixabay

Às vezes, olhamos para alguém e não dizemos nada. E mesmo assim, somos compreendidos. O outro demonstra saber exatamente o que estamos pensando. “A comunicação é por telepatia”, dizem alguns. Em muitos casos, um momento de silêncio é quebrado pelas risadas ou por um comentário breve, que resultam da cumplicidade. Não sabemos exatamente como, mas a afinidade com algumas pessoas é tão grande que nos entendemos até mesmo quando nenhuma palavra é dita. Gestos simples já são suficientes, como a mão no ombro, que nos conforta quando estamos tristes, ou aquele olhar que nos dá força e afirma “vai ficar tudo bem”. Assim é uma amizade verdadeira, do tipo que merece ser celebrada!

Duas datas, este mês, remetem ao Dia da Amizade. A primeira delas é 20 de julho, quando se tornou bastante comum a troca de mensagens entre amigos. A outra é 30 de julho, dia que teria sido sugerido pela Organização das Nações Unidas, defensora da cultura da paz, por causa do projeto de um médico paraguaio. Fundador da Cruzada Mundial da Amizade, Ramón Artemio Bracho, estimulava, nessa data, a realização de atividades sociais e culturais, para que os cidadãos se ajudassem e fortalecessem os vínculos de amizade. Independentemente do dia, que tenhamos sempre disposição para agradecer nossos amigos por todo o carinho, pelos momentos de diversão e apoio!

Deste sábado (18/7) até a segunda (20/7), vamos apresentar três histórias de amizade compartilhadas com a Evidência para a edição de julho. Confira!

Distantes, mas com o coração pertinho!

Paula é farmacêutica e conheceu a amiga Denise na faculdade. Foto: Arquivo Pessoal

Nem sempre conseguimos encontrar os amigos queridos com regularidade. Agora, por causa da pandemia, está ainda mais complicado. Mas não há distância que diminua o carinho por alguém especial. As farmacêuticas Paula Hofmeister Pich Affeldt e Denise Maria Cunha Willers se conheceram em 1989, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Mais do que colegas de faculdade, se tornaram grandes amigas. Atualmente, se veem pouco, porém não deixam de conversar por telefone. “Costumamos nos ver uma ou duas vezes por ano. São encontros aguardados e festejados. Conversamos sobre tudo: família, trabalho, filmes, viagens. A Denise está sempre pronta para ajudar, para dar uma palavra de força ou simplesmente para ouvir. Uma pessoa sincera e afetuosa, que tem um interesse real e verdadeiro no bem-estar da gente”, conta a proprietária da Farmácia Via Fórmula.

Denise. Foto: Arquivo Pessoal

Paula ressalta que a amiga esteve ao seu lado em diversas ocasiões. “Sabe aquela pessoa que está presente nos momentos mais importantes da tua vida? No teu casamento, na chegada do filho tão esperado, nos momentos de dúvida, na doença. E sempre está pronta para te ajudar e dar uma palavra amiga? Essa é a Denise.”