A morte de Nelson Mandela, ex-presidente da África do Sul, foi anunciada nesta quinta-feira (5) pelo atual presidente do país, Jacob Zuma. “Nossa nação perdeu seu maior filho. Nosso povo perdeu seu pai”, declarou. Mandela tinha 95 anos e morreu na companhia da família, em sua casa em Johanesburgo.  A saúde do líder sul-africano estava debilitada há algum tempo, apenas este ano ele passou três meses internado devido a uma infecção pulmonar. O funeral de Mandela deve durar entre 10 e 12 dias e o corpo será enterrado na aldeia de Qunu, onde cresceu, e conforme era sua vontade.

Mandela foi considerado um dos maiores heróis da luta dos negros pela igualdade de direitos na África do Sul, sendo um dos principais responsáveis pelo fim do apartheid, regime de segregação racial que vigorou no país entre 1948 e 1993. Em sua luta pelos direitos dos negros, chegou a ficar 27 anos preso, quando foi acusado de traição, sabotagem e conspiração contra o governo, em 1963. Mandela foi libertado em 1990, aos 72 anos e, três anos depois, recebeu o Prêmio Nobel da Paz. Em 1994 foi eleito presidente, na primeira eleição democrática multirracial da África do Sul. Mandela deixou a presidência em 1999 e, desde então, passou a dedicar-se ao combate da AIDS no país. Aos 85 anos, em 2004, anunciou que iria retirar-se da vida pública, mas permaneceria com suas atividades contra a doença.

Fonte: G1 e Uol Notícias

Créditos destaque: Nelson Mandela Centre of Memory