A eleição indireta para a Prefeitura de Gravataí, que acontece na próxima segunda-feira (14/11), na Câmara de Vereadores, obteve uma única chapa inscrita, em que o vereador Acimar Silva (PMDB) concorre como prefeito e o ex-deputado estadual Francisco Pinho (DEM) como vice.

A confirmação do peemedebista no Executivo é dada como certa, já que o nome de Acimar foi escolhido por consenso pelos seis partidos que formam o bloco de coalização que votou a favor da cassação de Rita Sanco: PMDB, PSB, PV, PP, PTB e DEM.

O parlamentar está no quinto mandato consecutivo como vereador e nunca exerceu função na administração municipal. Acimar, que deve ser empossado no dia 16/11/2011 e permanecerá no cargo até 31/12/2012, projeta em sua gestão dar ênfase aos serviços básicos oferecidos na cidade. "Em termos de obras, não vamos conseguir quase nada, porque não tem recursos", resigna-se. "Queremos ter um ano sem prejuízos para a cidade", finaliza.

A bancada do PT, que classifica como "golpista" o processo de cassação de Rita Sanco, decidiu não se inscrever para a eleição indireta e não deve também participar da votação. "Não vamos legitimar essa eleição, porque julgamos que o processo é de intervenção nos moldes da ditadura", justifica a vereadora Tania Ferreira (PT). "O governo vai ser eleito de forma indireta e antidemocrática para um mandato tampão, o que é pior ainda", analisa.

O prefeito e o vice, eleitos entre os seus pares, tomarão posse no primeiro dia posterior à realização do pleito, devendo completar o mandato de seus antecessores.