O Museu Municipal Agostinho Martha recebeu a doação de uma coleção contendo todos exemplares do jornal O Gravatahy, pioneiro na cidade. Ivani Linck Barcelos Gomes, sobrinha do criador do primeiro impresso gravataiense, levou pessoalmente ao museu os exemplares do período de 1923 até 1927, ano em que o jornal deixou de circular.

Para o diretor do Museu, Getúlio Xavier Osório, a doação foi de extrema importância para o acervo do local. “É uma raridade. Ninguém mais tem esse jornal”, disse. Nas páginas do impresso quinzenal, é possível encontrar a história de Gravataí através de informes publicitários de comerciantes e profissionais e notícias da sociedade, como notas de nascimentos, casamentos e óbitos. Getúlio aproveitou também para agradecer o gesto. “Muitas pesquisas serão auxiliadas com os dados que constam nestas páginas”, declarou.

Segundo Ivani, essa foi a melhor maneira encontrada para contribuir para o trabalho do museu, que completou 40 anos neste 30 de julho. “Já era uma ideia minha realizar a doação, que acabou ficando como uma homenagem ao aniversário do Museu Agostinho Martha”, afirmou a aposentada. Seu tio, João Selister, era jornalista, poeta e teatrólogo. De acordo com Ivani, ele viu a necessidade de criar um jornal que contasse as histórias de Gravataí, já que cidades menores e menos movimentadas já possuíam impressos próprios. A ex-professora foi a responsável pela conservação da coleção de jornais, que já possui mais de 90 anos. “A cidade não pode perder a sua história”, frisou. Para ela, auxiliar na construção do conhecimento é essencial. “É quase uma obrigação transmitir o que se sabe”, concluiu.

Fonte: DCS/PMG

Crédito Destaque: DSC/PMG