O ex-ditador da Líbia, Muammar Kadhafi, foi morto em um ataque de combatentes do novo governo do país, nesta quinta-feira (20/10) próximo à cidade de Sirte, segundo o novo governo da Líbia.

“Anunciamos ao mundo que Kadhafi morreu nas mãos dos revolucionários", disse Abdel Hafez Ghoga, porta-voz do Conselho Nacional de Transição (CNT), em Benghazi. "É um momento histórico, é o fim da tirania e da ditadura. Kadhafi cumpriu seu destino."

A Otan, que apoia militarmente a rebelião anti-Kadhafi na Líbia, e os EUA ainda não confirmaram a informação.

As informações iniciais eram de que Kadhafi havia sido preso e estava ferido em ambas as pernas, gravemente. A France Presse publicou uma foto que seria de Kadhafi logo após a captura, ferido ou morto. Fontes militares rebeldes confirmaram a veracidade da imagem.

A primeira confirmação sobre a prisão de Kadhafi foi feita por Abdel Majid, chefe militar dos ex-rebeldes líbios na capital, Trípoli. "Ele foi capturado. Ele está ferido em ambas as pernas… Ele foi levado de ambulância", disse o militar à agência Reuters, por telefone. Mais tarde, o próprio Majid anunciou que Kadhafi havia sido também baleado na cabeça e estava morto.

Outro comandante rebelde, Mohamed Leith, disse à France Presse que viu Kadhafi "com seus próprios olhos" e que o coronel estava "gravemente ferido", mas "ainda respirava".

Kadhafi foi atacado próximo à sua cidade-natal, Sirte, em um comboio que sofria ataque aéreo da Otan enquanto tentava fugir. A Otan confirmou que atacava o comboio. A cidade de Sirte, último foco de resistência dos combatentes kadhafistas, havia sido tomada definitivamente pelos rebeldes hoje, após semanas de cerco e resistência dos pró-Kadhafi.

A TV Líbia Livre disse que, na ação, foram presos Muatassim, um dos filhos do coronel, além de Mansur Dau e Abdala Senusi, dos serviços de inteligência. Um combatente do novo governo líbio, ouvido pela Reuters, disse que Kadhafi estava escondido em um buraco, e teria gritado "Não atire! Não atire!" ao ser descoberto.

Fontes rebeldes afirmaram que, por questões de segurança, o corpo de Kadhafi seria levado a um lugar secreto, na cidade de Misrata.

Fonte: G1