Reprodução da internet

Consumidor Consciente

Mais importante do que estar na moda é praticarmos o consumo consciente, pois estaremos ajudando nosso planeta e contribuindo para a construção de uma imagem de cidadão do bem. 

Além de ser um consumidor consciente, irá colaborar para que o mercado da moda deixe de ser a indústria com maior impacto negativo no meio ambiente e social do mundo todo. E se você, assim como eu, ama moda, pessoas e nosso planeta, saiba o que fazer para dar o start nesta caminhada rumo ao consumo consciente.

  1. Quando a roupa furar?
Reprodução da internet

Sua roupa furou acidentalmente ou por tempo de uso? Não tem problema, saiba que hoje em dia fazer uma emenda na roupa não é sinal de look deselegante, e sim o quanto você se preocupa com seu planeta.

Dica: aplique um pat bordado ou sobreponha um retalho de tecido. Além de não jogar sua roupa fora, deixará personalizada imprimindo sua identidade e estilo.

  1. Ressignifique o sujo

Lembre-se que a quantidade de vezes que suas peças são lavadas estará influenciando diretamente no seu tempo de vida útil. O processo de lavagem de cada peça, a longo prazo, é aproximadamente quatro vezes mais prejudicial para o meio ambiente do que o processo de produção da mesma, que já é enorme. Então, antes de pensar em lavar suas roupas sem necessidade, siga essas dicas:

  • Para roupas pesadas, com mau cheiro após o uso, antes de recorrer à máquina de lavar, coloque a peça em um saco plástico dentro do freezer por 24h que o mau cheiro desaparece;
  • Blusas com cheiro de gordura ou “de restaurante”, a dica é fazer uma misturinha com 400 ml de água, 50 ml de álcool e 50 ml de vinagre de vinho branco. Borrifar na peça e deixar secar à sombra, o cheiro desaparece.
  1. “Essa roupa é muito cara!”

Refletir sobre os valores por trás de cada peça que adquirimos é algo urgente nos dias atuais. Precisamos entender por que algumas peças são tão caras e outras similares, tão baratas. Vou te ajudar nesta tarefa: pense na quantidade de processos produtivos que existem por trás de cada roupa – design, corte, costura, estamparia, modelagem, frete e por aí vai. São muitos processos até chegar às lojas e depois em suas mãos, por isso, quando optar por comprar uma peça “baratinha”, reflita: A conta fecha?, Quem está pagando por isso?, Qual o salário das pessoas que produziram essa peça, se ela chega em seu destino final, com um valor tão baixo? Lembre-se, alguém está pagando por você esta diferença de preço e pode estar saindo bem caro para ela.

Vamos seguir o conselho do Zaffari em seu slogan Economizar é comprar bem. A partir de agora, prefira investir em peças de qualidade e atemporais, assim com certeza estará aos poucos se tornando um consumidor muito mais consciente.

*Esse artigo é de autoria de Andréia Gasparoni, colunista de Moda da Evidência.