Em resposta aos protestos que ocorrem em todo o Brasil, a Câmara dos Deputados derrubou, nesta terça-feira (25/6), a Proposta de Emenda Constitucional 37/2011, que tirava poderes de investigação do Ministério Público. Apenas nove deputados votaram a favor da PEC, 430 votaram contra e dois se abstiveram. A derrubada da PEC 37 era uma das maiores bandeiras das manifestações. Ontem, a Câmara ainda aprovou Projeto de Lei do Executivo que destina 75% dos royalties do petróleo para a educação, e 25% para a saúde. O projeto segue, agora, para aprovação do Senado.

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, anunciou, na noite passada, que a presidente Dilma Roussef encaminhará ao Congresso uma proposta de plebiscito para a reforma política sem a convocação de uma Assembleia Constituinte. O ministro afirmou que não há tempo hábil para a realização da constituinte e que o plebiscito ocorrerá o mais breve possível. Segundo Mercadante, as questões que serão feitas à população ainda não foram definidas, mas entre os temas a serem debatidos está a forma de financiamento de campanhas eleitorais.

Novos protestos no Rio Grande do Sul

Mais manifestações ocorreram em diversas cidades do Estado, nesta terça-feira (25/6). Em Cachoeirinha, cerca de duas mil pessoas saíram às ruas, na tarde de ontem, pedindo pela diminuição do preço da passagem e melhorias nas áreas de saúde e educação. A ponte de entrada do município à Free Way e o acesso à Av. Assis Brasil, de Porto Alegre, foram bloqueados, causando congestionamento. Em seguida, a multidão seguiu pela Av. Flores da Cunha até a Câmara de Vereadores, onde debateram reivindicações com vereadores. Policiais da Brigada Militar acompanharam a caminhada, que terminou de forma pacífica, apesar do ânimo exaltado de alguns manifestantes.

Em Gravataí, em torno de 300 pessoas participaram da marcha de protestos, que teve início às 17h na Praça Borges de Medeiros, em frente à Prefeitura. A exemplo de Cachoeirinha, os manifestantes seguiram até a Câmara de Vereadores, onde participaram de uma reunião com vereadores da Mesa Diretora e líderes das bancadas de partidos. Entre as reivindicações apresentadas, estavam:  retirada do Projeto de Lei nº 95/2013, que dispõe sobre a reposição da inflação nos subsídios dos vereadores; acesso público à planilha de custos da empresa de ônibus Sogil; contratação de funcionários para o Hospital Dom João Becker; e regularização fundiária do Rincão da Madalena. O presidente da Câmara, Nadir Rocha, afirmou que as propostas serão encaminhadas para as Comissões Permanentes. 

Fontes: G1, Estadão, ZH.com, Site da Câmara de Vereadores de Gravataí

Créditos destaque: Jose Cruz/ABr