A Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan), a Casa Civil e as entidades estudantis que fazem parte do grupo de trabalho do passe livre discutiram, na manhã desta quarta-feira (16), critérios para implantar o benefício.

Ficou especificado que, para emitir as carteiras de isenção, será necessário realizar o cadastro em uma das entidades estudantis, que enviará os dados à Metroplan. Esta os encaminhará à Associação de Transportes Metropolitano (ATM), que será responsável pela emissão.

O valor dos recursos repassados aos municípios seguirá o critério de uma fórmula matemática, que medirá a média entre o número de alunos beneficiados e a distância percorrida diariamente. Há a hipótese de se trabalhar com a contagem de pontos de acordo com o resultado do cálculo de cada município.

A intenção é que o benefício inicie pelos municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre. Cidades que ainda não implantaram a bilhetagem eletrônica terão um prazo para se adaptar. “No primeiro momento não vamos conseguir chegar a todos, mas é importante unirmos esforços para implantar no início do ano”, afirmou o superintendente da Metroplan, Oscar Escher.

Uma nova reunião ficou marcada para a próxima terça-feira (22), às 15h.

Fonte: Assessoria de Comunicação/Metroplan

Créditos: Rafael Cabeleira/Metroplan