Cerca de 600 pessoas, entre médicos e estudantes universitários, reuniram-se em frente ao Museu de História da Medicina, no centro da Capital, na tarde desta quarta-feira (3/7). A passeata seguiu até a Assembleia Legislativa, onde um grupo de manifestantes entregou ao presidente do órgão, o deputado Pedro Westphalen, uma carta com reivindicações da classe.

O principal motivo da caminhada foi o descontentamento dos profissionais de Medicina com o projeto da presidente Dilma Roussef, que busca trazer médicos estrangeiros para trabalhar no Brasil sem que, para isso, realizem a prova de validação do diploma.

Além de Porto Alegre, outras seis cidades gaúchas foram palco de manifestações do tipo: Caxias do Sul, Passo Fundo, Pelotas, Rio Grande, Santa Maria e Santa Cruz do Sul. Durante os protestos, a classe médica também pediu mais investimentos na saúde e a implementação de uma carreira estatal.  

Fontes: Zero Hora, G1

Créditos destaque: Margareth Spode/Arquivo pessoal