No dia em que cidade completa 251 anos (8 de abril), o prefeito Marco Alba foi o convidado da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Gravataí para o “Almoço com a Acigra”, tradicional evento que reúne lideranças empresariais e políticas da cidade. Discorrendo sobre o primeiro ano de governo e os primeiros meses de 2014, o chefe do executivo municipal afirmou que reconhece as realizações das administrações anteriores ao mesmo tempo que se vê diante da responsabilidade de planejar e projetar o futuro. Para tanto, afirma que “a política é a ferramenta da transformação”, dizendo que “pode parecer óbvio, mas só conseguimos mudar, mudando”. Referia-se ao que chamou de “método anterior de governar” que, segundo ele, “ao invés de priorizar os interesses da cidade levaram em conta prioridades de partidos e pessoas”.

O prefeito relatou ações de planejamento e disse que a população está cada vez mais interessada em ver uma administração transparente e capacidade para gerir a cidade, tecnologicamente equipada para fazer frente às necessidades atuais de comunicação e, também, informações seguras sobre os dados municipais. “As pessoas querem saber o que de fato acontece na prefeitura e elas têm este direito”, enfatizou. No relato das ações, destacou a determinação de implantar o chamado “Regime de Caixa”, aquela no qual “todos os empresários sabem, só gastamos o que temos”, exemplificou. Revelou em somente no ano passado a prefeitura usou R$ 66,8 milhões para saldar dívidas contraídas por governos anteriores, o que reduziu a capacidade de investimento em obras e serviços na cidade. Tal condição sofrerá profunda modificação a partir do próximo ano, quando o município passará a usufruir do efeito GM provocado pela duplicação da fábrica de automóveis. Se em 2013 foram usados apenas 1,5% do orçamento municipal para investir, em 2014 devem ser 5% e, a previsão é que este percentual seja de, pelo menos, 10% em 2015.

Créditos destaque: Revista Evidência