Cerca de 42% dos jovens homossexuais do sexo masculino nem sempre usam preservativos em suas relações sexuais. A informação é da  Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo com base em dados coletados durante a Parada do Orgulho LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros) deste ano, na capital paulista.

Para o levantamento, a secretaria ouviu 108 jovens, de ambos os sexos, com idades entre 10 e 24 anos, e que se consideram lésbicas, gays, bissexuais ou transgêneros. Desse total de jovens, 20% disseram que o uso da camisinha nas relações sexuais acontece de vez em quando, mas o número é maior entre os entrevistados do sexo masculino (42% do total).

De acordo com o levantamento, 43,7% dos entrevistados do sexo feminino disseram nunca usar preservativos nas relações sexuais, enquanto entre os homens o percentual é 3,3%. A principal justificativa das mulheres para não usarem o preservativo é o fato delas acreditarem que sexo entre pessoas do sexo feminino não necessita deste tipo de prevenção. Entre os homens, o principal motivo para não se usar camisinha é ter parceiro fixo.

A pesquisa apontou que a maior parte dos entrevistados – 87% do total –  acha que o público LGBT é mais vulnerável ou corre mais riscos que os heterossexuais. O principal risco apontado por eles foram as doenças sexualmente transmissíveis.

Fonte: Agência Brasil

Créditos destaque: José Cruz / ABr