Em 2002, uma tragédia mudou a rotina do empresário Luiz Fernando Oderich, quando seu único filho, Max Oderich, foi assassinado durante um assalto aos 26 anos. Diante de sua própria perplexidade com a impunidade dos autores do crime, que nunca foram encontrados, Luiz Fernando fundou a ONG Brasil Sem Grades para desenvolver ações e campanhas voltadas ao combate às causas da criminalidade. Para reconhecer a dedicação e o trabalho de Oderich, a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS) vai homenageá-lo no dia 5 de dezembro, às 20h, no Plaza São Rafael, com o Prêmio Personalidade Responsabilidade Social 2013.

À frente da organização, o empresário luta por três pilares fundamentais no combate à violência: planejamento familiar, paternidade responsável e revisão do Código de Processo Penal Brasileiro. Além de seus 11 anos de Brasil Sem Grades, Oderich também se tornou figura pública por relatar as histórias de sua vida. Ele lançou três obras que tinham como objetivo mobilizar a sociedade quanto às questões de segurança e impunidade. Em 2005, publicou seu primeiro livro, “O Beijo Gelado”, sobre a paternidade irresponsável, suas causas e consequências.

O livro “Sangue, Suor e Lágrimas”, da Editora AGE, lançado em novembro de 2010, retrata a dor de perder o único filho. A obra reúne crônicas que apresentam um conjunto de ações práticas para combater as causas da criminalidade. “O livro é destinado a todo cidadão brasileiro que deseja fazer algo para mudar a nossa situação. Viver atrás das grades significa não acreditar em nada nem em ninguém”, alerta o autor. “Só vejo um caminho: construirmos uma sociedade com outros valores. Colocarmos no mundo apenas aqueles filhos que sejam amados e desejados por seus pais”, complementa.

A terceira obra de Luiz Fernando Oderich, “Os Filhos da Mãe”, foi resultado da implantação do projeto Pai? Presente!, que foi transformado em livro em 2011. Estatísticas não faltam para comprovar a importância da figura paterna no combate à criminalidade e o livro conta a história deste projeto, lançado em 2009, em São Sebastião do Caí. “O livro apresenta as dificuldades que encontramos, mas, também, a quantidade enorme de caminhos possíveis. Fala de gente maravilhosa e de bem com a vida, disposta a ajudar. A ideia foi contar a história da implantação desse projeto, que não foi fácil, narrado a partir da vida das pessoas, dos casos e acasos”, destaca Oderich.

Fonte: Enfato Multicomunicação

Créditos destaque: Reprodução