A justiça de Gravataí determinou o afastamento dos policiais civis do Paraná envolvidos na morte do 1° Sargento de Serviço de Inteligência da Brigada Militar, Ariel da Silva. Segundo a juíza da 1° Vara Criminal da cidade, Eda Salete Zanatta de Miranda, a continuação dos policiais no cargo culminaria na manipulação de informações à justiça gaúcha.

Todavia, fica autorizada a lotação dos policiais em outros órgãos da corporação, mas só poderão exercer o oficio desde que não influenciem em dados das investigações.

Relembre o caso

O sargento do RS, que atuava há 21 anos na BM, foi morto no dia 21 de dezembro do ano passado, após ser atingido por cinco disparados de fuzil.  Segundo os policiais paranaenses, o gaúcho atirou contra eles no momento de uma abordagem, do qual aconteceu o revide. 

Durante a tarde deste mesmo dia, ocorreu uma operação conjunta entre os policiais civis do Paraná e do Rio Grande do Sul que resultou na morte do agricultor Lírio Perscht. Os agentes invadiram o cativeiro onde Lírio e outro produtor rural eram mantidos reféns, próximo a Câmara Municipal de Gravataí.

Fonte: Correio do Povo

Créditos destaque: Marcelo Oliveira