Os consumidores poderão aproveitar o desconto do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) até junho de 2013. O anúncio foi feito ontem pelo Ministro da Fazenda, Guido Mantega.

A partir de janeiro, as alíquotas serão recompostas gradualmente, até voltarem aos níveis normais. A exceção são os caminhões, que terão IPI zerado permanentemente, e as máquinas de lavar e papéis de parede, cuja alíquota permanecerá em 10% por tempo indeterminado.

Para a linha branca – fogões, tanquinhos e geladeiras –, móveis, painéis e laminados, os percentuais atuais permanecerão em vigor até o fim de janeiro. De fevereiro a junho, serão cobradas taxas intermediárias. Para os veículos, a recomposição do imposto será em duas etapas: terá um aumento em janeiro e outro em abril.

Segundo o ministro, o governo deixará de arrecadar R$ 3,83 bilhões com a prorrogação do IPI reduzido. Após junho, as alíquotas voltarão ao normal, devido ao bom desempenho no segundo semestre deste ano dos setores beneficiados pelas desonerações. “Houve boa recuperação do mercado nos últimos seis meses do ano. As vendas virão com impulso para o próximo ano”, declarou Mantega.

Fonte: Agência Brasil

Créditos destaque: Reprodução