Tema foi discutido pela Sema, Fepam, Corsan e Defesa Civil. Foto: Bárbara Corrêa

As equipes da Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema), Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), Defesa Civil e Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) estiveram reunidas na terça-feira (11/2) para debater a situação das captações no Rio Gravataí. Também foram avaliados os próximos passos das fiscalizações que passarão a contar com o apoio do Comando Ambiental da Brigada Militar.

O Departamento de Recursos Hídricos e Saneamento (DRHS) da Sema apresentou os dados monitorados desde a sexta-feira (7/2), quando foi publicada a portaria que suspendeu as captações diretas no rio para qualquer atividade que não seja abastecimento humano. A interrupção das captações e as chuvas irregulares do fim de semana contribuíram para alcançar um nível mais estável do rio que, na tarde desta terça-feira, havia subido de 1,3 para 1,4 metro, de acordo com medições realizadas nos pontos de monitoramento. Com esse avanço, nesta quarta-feira (12/2) poderão ser realizadas captações diretas durante 24 horas.

A fiscalização será retomada na quinta-feira (13/2). Juntamente com as equipes da Fepam e da Sema serão observadas as áreas monitoradas com o auxílio de drones e sobrevoos de helicóptero. Os técnicos também irão se deslocar por terra e água, supervisionando os pontos de captação e coibindo ações irregulares. Sobre a previsão do tempo, os técnicos afirmam que pode voltar a chover na região metropolitana nos próximos 15 dias, porém a quantidade não será suficiente para amenizar totalmente a situação da estiagem, por isso, as medidas de prevenção para manter a estabilidade do rio serão mantidas.

Fonte: Governo do Estado