Foto: Douglas Glier Schütz

Na última quarta-feira (5/2), o secretário de Governança e Comunicação Social, Luiz Zaffalon, se reuniu com o gerente local e um técnico da Corsan. O motivo do encontro, que ocorreu no Centro de Captação de Água de Gravataí, no bairro Morada Gaúcha, foi fiscalizar a situação do Rio Gravataí e do serviço de captação de água do município. Devido ao aumento das temperaturas e a falta de chuva, a cidade corre o risco de passar por racionamento de água. “Eu venho aqui pessoalmente desde o início de janeiro, quando começaram as altas temperaturas. Queremos providências em relação a captação emergencial com as balsas móveis. As que a Corsan tem estão desativadas há muito tempo. Elas estão tomadas pelo mato, precisamos de novas. Metade da população de Gravataí recebe a água que é captada aqui”, salienta Zaffalon. De acordo com o gerente local da Corsan, Ramos Volnei Modinger, a lâmina de água do Rio Gravataí está 40 centímetros acima da bomba de captação. Porém, o nível estaria diminuindo entre quatro e cinco centímetros por dia. “Se não chover até domingo, perderemos mais 20 centímetros, sobrando apenas 20 entre a bomba de captação e a lâmina de água”, afirma.

Colaboração dos gravataienses 

Para ajudar na prevenção do racionamento a população também pode fazer a sua parte. O uso consciente auxilia não só o meio ambiente, mas toda a comunidade. Nessa época de pouca chuva, é aconselhável não molhar a grama e os jardins, assim como não lavar carros e calçadas. Pequenos gestos, como fechar a torneira ao escovar os dentes e lavar a louça, e, ainda, desligar o chuveiro enquanto se ensaboa, também auxiliam na economia de água.

Fonte: Prefeitura de Gravataí