A Fundação de Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul (Fundergs) adotou medidas contra a prática de preconceito racial nas competições que organiza. A partir deste ano, o regulamento do Campeonato Gaúcho de Várzea, da Copa Feminina de Várzea, do Campeonato Estudantil (CERGS) e dos Jogos Intermunicipais do Rio Grande do Sul (JIRGS) apresentam rigorosas sanções às equipes e às torcidas que se manifestarem de forma racista e preconceituosa durante as competições.

A penalização dos atletas enquadrados na prática de racismo será a eliminação do respectivo campeonato ao qual estiverem participando. Além disso, o espaço (ginásio, quadra, estádio) onde ocorreu o ato racista ficará interditado até a data do julgamento. A medida foi adotada em razão das recentes manifestações racistas em estádios de futebol do Estado e do exterior contra jogadores e árbitros negros.

“Racismo é crime e quem o pratica tem de sofrer as consequências”, afirma o presidente da Fundergs, Claudio Gutierrez. “Não é possível ser tolerante e conivente com esse tipo de desrespeito com o ser humano.”

Nesse sentido, a Fundergs e a Secretaria do Estado do Esporte e do Lazer (SEL) vêm implementando uma política voltada a garantir a inclusão social e ampliar a participação não só dos negros, mas também dos índios, das mulheres e das pessoas com deficiência entre os praticantes de esportes. Entre as novidades de 2014, está a Primeira Copa RS de Futebol de Várzea Feminino, evento que pretende mobilizar mulheres de 497 municípios do Estado.

Fonte: Secretaria de Comunicação do RS

Créditos destaque: Sxc.hu