Estrelado por um trio de atores com síndrome de Down, "Colegas", de Marcelo Galvão, faturou o Kikito de melhor filme da 40ª edição do Festival de Cinema de Gramado – que ocorreu entre os dias 10 e 18/08. A cerimônia de premiação foi realizada na noite de sábado (18/08), no Palácio dos Festivais.

De maneira leve, divertida e sem autopiedade, o road movie é uma aula de inclusão social. A jornada dos personagens Stallone (Ariel Goldenberg), Aninha (Rita Pokk) e Márcio (Breno Viola) arrancaram muitos risos da plateia na Serra Gaúcha. "Queria agradecer a essa equipe e a Rita, Ariel e Breno. A nossa projeção aqui foi maravilhosa. O filme foi aplaudido várias vezes em cena e de pé ao final. Isso para nós foi o maior prêmio", discursou Galvão após receber o Kikito das mãos do cineasta Arnaldo Jabor.

Além de melhor filme, "Colegas" levou para casa os prêmios de direção de arte e especial do júri, para os atores principais. No palco, os três choraram e fizeram um discurso emocionado: "Nós somos Down perante a sociedade, mas perante Deus somos normais", disse Ariel. Exatamente como faz no filme, Breno arrancou gargalhadas da plateia: Ganhar esse periquito (Kikito) aqui é muito gratificante", brincou.

Todos os premiados
Longas-metragens brasileiros
Melhor filme:
"Colegas", de Marcelo Galvão
Melhor diretor: Kleber Mendonça Filho, por "O Som ao Redor"
Melhor ator: Marat Descartes ("Super Nada")
Melhor atriz: Fernanda Vianna ("O Que se Move")
Melhor roteiro: Pedro Bial ("Jorge Mautner – O Filho do Holocausto")
Melhor fotografia: Gustavo Hadba ("Jorge Mautner – O Filho do Holocausto")
Melhor montagem: Leyda Napoles ("Jorge Mautner – O Filho do Holocausto")
Melhor direção de arte: Zenor Ribas ("Colegas")
Melhor trilha musical: André Abujamra ("Futuro do Pretérito: Tropicalismo Now!")
Melhor desenho de som: Pablo Lamar e Kleber Mendonça Filho ("O Som ao Redor")
Prêmio do júri popular: "O Som ao Redor", de Kleber Mendonça Filho
Prêmio da crítica: "O Som ao Redor", de Kleber Mendonça Filho
Prêmio especial do júri: Ariel Goldenberg, Breno Viola e Rita Pokk ("Colegas")

Longas-metragens latino-americanos
Melhor filme: "Artigas, la Redota"(Uruguai), de Cesar Charlone
Melhor diretor: Cesar Charlone, por "Artigas, la Redota"(Uruguai)
Melhor ator: Jorge Esmoris, por "Artigas, la Redota"(Uruguai)
Melhor roteiro: Eduardo del Llano Rodríguez, por "Vinci"(Cuba)
Melhor fotografia: Boris Peters e Larry Peters, por "Leontina" (Chile)
Prêmio do júri popular: "Artigas, la Redota" (Uruguai), de Cesar Charlone
Prêmio da crítica: "Artigas, la Redota" (Uruguai), de Cesar Charlone
Menção honrosa: Daniel Fernández e Mariana Pereira, pela direção de arte de "Artigas, la Redota"(Uruguai)
Menção honrosa: Luciano Supervielle, pela trilha de "Artigas, la Redota"(Uruguai)
Menção honrosa: Osvaldo Montes, pela trilha de "Vinci"(Cuba)

Curtas-metragens nacionais
Melhor filme: "Menino do Cinco", de Marcelo Matos de Oliveira e Wallace Nogueira
Melhor diretor: Gilson Vargas (“Casa Afogada”)
Melhor ator: Thomas Vinícius de Oliveira e Emanuel de Sena ("Menino do Cinco")
Melhor atriz: Sabrina Greve ("O Duplo")
Melhor roteiro: Marcelo Matos de Oliveira ("Menino do Cinco")
Melhor fotografia: Bruno Polidoro ("Casa Afogada")
Melhor montagem: Gustavo Forte Leitão ("Di Melo – O Imorrível")
Melhor direção de arte: Iara Noemi e Gilka Vargas ("Casa Afogada")
Melhor trilha musical: Marcos Azambuja ("Funeral à Cigana")
Melhor desenho de som: Gabriela Bervian ("Casa Afogada")
Prêmio do júri popular: “Menino do Cinco”, de Marcelo Matos de Oliveira e Wallace Nogueira

Prêmio especial do júri: "A Mão que Afaga", de Gabriela Amaral Almeida
Prêmio da crítica: "Menino do Cinco", de Marcelo Matos de Oliveira e Wallace Nogueira

Fonte: G1

Créditos destaque: Edison Vara/Pressphoto