O júri popular de Bruno Fernandes de Souza e de sua ex-mulher, Dayanne Rodrigues, formado por cinco mulheres e dois homens, teve seu fim decretado na madrugada desta sexta-feira (08/03), no Fórum de Contagem, em Minas Gerais.

Bruno, que era acusado pela morte e ocultação de cadáver de Eliza Samudio e pelo sequestro e cárcere privado do filho que teve com ela, foi condenado a 22 anos e três meses de prisão. Sendo 17 anos e seis meses em regime inicialmente fechado por homicídio triplamente qualificado. Sua ex-mulher, Dayanne Rodrigues foi absolvida das acusações.

Conforme o site G1, Lúcio Adolfo, advogado de Bruno, disse que recorrerá da condenação.

Fonte: G1 e Zero Hora

Crédito destaque: TJMG /Divulgação