Moda democrática, atemporal e consciente é tendência. Foto: Usefashion

Confira as dicas da estrategista de Branding Pessoal e Negócios de Moda Andréia Gasparoni que são destaque da edição de agosto da Evidência:

A era do slow living

Um estilo de vida que preza pelo equilíbrio, pela desaceleração e pelo consumo sustentável, vem tomando ainda mais força na quarentena. Sua principal função é trazer bem-estar e tranquilidade para o cotidiano na vida pessoal e profissional. Isso ocorre através de um consumo lento, por exemplo, por peças adquiridas com consideração e moderação, utilizando o design para expressar a individualidade.

Foto: Usefashion

Movimentos como o Fashion Revolution, Who Made My Clothes e Fur Free têm demonstrado que, já há algum tempo, estamos caminhando na direção de uma moda consciente e ecológica. O slow living (tradução literal: vida lenta) engloba o slow fashion (moda lenta) que surge como a vertente da moda que foca em reduzir a velocidade das cadeias de produção e, por consequência, o consumo exacerbado e os impactos no ambiente, valorizando a longevidade das peças.

Uma moda democrática, atemporal e muito consciente vem para nos ensinar sobre o que realmente importa nesta vida: as pessoas e não as roupas que usam! Eu aprovo e tenho certeza de que nosso planeta também. E você, o que pensa sobre essa moda?