Foto: Luís André/Palácio Piratini

O Rio Grande do Sul recebeu, na manhã de domingo (7/2), 193,2 mil doses da CoronaVac, do Instituto Butantan. Esta foi a quarta remessa de vacinas contra a Covid-19 enviada pelo Ministério da Saúde (MS). O governo do Estado iniciará a segunda fase de imunização, incluindo idosos acima de 85 anos, além de ampliar a cobertura dos profissionais da saúde. Do Aeroporto Salgado Filho, as doses seguiram para a Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (Ceadi). A distribuição para as 18 Coordenadorias Regionais de Saúde (CRSs) será realizada no início da manhã desta segunda-feira (8/2), com a mesma logística utilizada nas outras vezes, com apoio aéreo e terrestre. As coordenadorias 1ª (Porto Alegre), 8ª (Cachoeira do Sul), 13ª (Santa Cruz), 16ª (Lajeado), 18ª (Osório) e a Secretaria Municipal de Saúde da capital têm prevista a retirada das doses por via terrestre. As demais serão distribuídas com aeronaves da Brigada Militar e da Polícia Civil. A previsão é de que todas as CRSs estejam em posse dos frascos no início da tarde desta segunda.

Pedido de registro definitivo

A Pfizer enviou à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o pedido de registro definitivo da sua vacina contra a Covid-19, que recebeu o nome de Cominarty. Esse é o segundo pedido recebido pela Agência. O primeiro foi o pedido da vacina de Oxford, apresentado no dia 29 de janeiro. Quando for aprovado e for concedido pela Agência, o registro é o sinal verde para que a vacina seja comercializada, distribuída e utilizada pela população, nos termos da indicação estabelecida na bula. Ou seja, o registro é a avaliação completa com dados mais robustos dos estudos de qualidade, eficácia e segurança, bem como do plano de mitigação dos riscos e da adoção das medidas de monitoramento.

*Informações do Governo do Estado e da Anvisa