A chuva que caiu no fim de semana na Região Metropolitana foi insuficiente para subir o nível do Rio Gravataí. No monitoramento diário realizado na manhã de segunda-feira (26/12), os técnicos da Companhia Rio-grandense de Saneamento (Corsan) informaram à Fundação Municipal de Meio Ambiente (FMMA) que a medição apontou 1,13 metros de água, o que demonstra que o nível segue baixando do nível ideal – que é acima dos 2 metros. A medição já está próxima do estado de alerta, que é 1 metro, conforme determina o Departamento de Recursos Hídricos, da Secretaria Estadual de Meio Ambiente.

Entre as dicas para o consumo consciente da água, a FMMA recomenda a toda população: Não tome banhos demorados; Utilize balde para regar o jardim e evite a utilização de mangueira; Mantenha a torneira fechada ao ensaboar a louça; Feche a torneira ao escovar os dentes e ao fazer a barba; Não deixe a torneira pingando; Mantenha a válvula de descarga do vaso sanitário sempre regulada; Deixe as roupas de molho para remover a sujeira pesada; Encha a máquina para lavar as roupas e reaproveite a água para lavar pisos e calçadas.

Abastecimento para 1 milhão de pessoas

Os fatores que contribuem para o baixo nível do rio nesta época do ano são o período de estiagem dos últimos dois meses, o uso intensivo da água na irrigação das lavouras de arroz, a evaporação da água e o aumento do consumo pela população, devido às altas temperaturas.

Na semana passada, autoridades e técnicos da Corsan e FMMA vistoriaram o nível do Rio Gravataí nos pontos de captação dos municípios de Alvorada e Gravataí. A medição constatada pelos técnicos foi de 1, 24 metros. A Bacia do Rio Gravataí abastece a mais de 1 milhão de pessoas das cidades de Gravataí, Cachoeirinha, Alvorada, Viamão, Glorinha, Santo Antônio da Patrulha, Canoas (Zona Norte) e Porto Alegre (Zona Norte).

Fonte: Secom