No município, há por volta de 25 Educadores Sociais atuando para atender, aproximadamente, 308 alunos com necessidades especiais. Esses profissionais são contratados através de concursos públicos realizados pela Secretaria de Assistência Social e, alguns, são cedidos para a Secretaria da Educação (SMED), de onde partem para a rede de ensino infantil e fundamental.

Antes de o Educador ser alocado, no entanto, o caso do aluno é analisado. Somente assim é possível identificar qual é o tipo de ajuda necessária. “O Educador Social não é encaminhado à escola para tirar o lugar do professor, mas sim para auxiliá-lo no atendimento especializado”, explica a coordenadora pedagógica da SMED, Paula Bica.

O Educador Social, ao ser contratado, ganha a formação continuada de um ano e, ao final deste período, conquista a certificação. O andamento do trabalho destes profissionais é acompanhado pela coordenadora no mínimo duas vezes por ano, sendo uma no início e outra no final do período letivo. O desenvolvimento do aluno, por sua vez, é avaliado trimestralmente e, caso seja percebido que não há mais necessidade da presença do Educador, este migra para outra escola.

Fonte: Site da Prefeitura de Cachoeirinha/ Ketelen Machado

Créditos destaque: Mariana Jeremias