A indústria oceânica do Rio Grande do Sul conta, desde o dia 3, com mais um arranjo setorial. O decreto 51.103/14, publicado no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira, constituiu legalmente o Polo Naval do Guaíba. “É mais um passo na descentralização proposta pelo Governo do Estado, através da Política Industrial. Com o polo do Guaíba, chegamos a três concentrações navais, o que mostra a pujança desta indústria e o sucesso de nossas ações, voltadas ao fortalecimento do setor”, afirma o secretário de Desenvolvimento e Promoção do Investimento, Mauro Knijnik, referindo-se aos já implantados polos de Rio Grande e do Jacuí. O marco legal permitirá o avanço dos processos de documentação e licenciamento necessários à implantação de empresas às margens do Lago Guaíba, abrangendo áreas de Porto Alegre e do município de Guaíba.

Caberá ao programa RS Indústria Oceânica, coordenado pela Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI), definir as áreas prioritárias para instalação de indústrias fornecedoras de insumos e de serviços, que serão declaradas áreas de interesse social do Estado do Rio Grande do Sul. As duas primeiras empresas anunciadas para o Polo do Guaíba são a Engevix e a Metalúrgica Koch.

Polos consolidados

A primeira concentração industrial do setor, o Polo Naval de Rio Grande, deverá receber até 2015 investimentos de R$ 14 bilhões, com geração de 40 mil empregos. Já o Polo Naval do Jacuí, que deflagrou o processo de descentralização em curso, abrigará a Iesa, com investimentos da ordem de R$ 1,7 bilhão, e a Metasa, que aplicará em torno de R$ 120 milhões.

Fonte: Governo do Rio Grande do Sul/Secretaria de Desenvolvimento e Promoção do Investimento

Créditos destaque: Thomas Schmidt